• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Líderes do Sudeste Asiático pedem que Coreia do Norte encerre programa nuclear

  • COMPARTILHE
Geral

Líderes do Sudeste Asiático pedem que Coreia do Norte encerre programa nuclear

Líderes do Sudeste Asiático e o primeiro-ministro da Austrália, Malcom Turnbull, pediram à Coreia do Norte que encerre seu programa nuclear e exortaram os países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) a implementarem plenamente as sanções contra o regime de Kim Jong-un.

Os líderes que integram a primeira cúpula da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean) a ser realizada na Austrália emitiram um comunicado conjunto neste domingo que pediu pela não militarização e pela adoção de um código de conduta nas águas no Mar da China Meridional, onde Pequim tem se tornado cada vez mais assertiva. Os líderes da Asean também disseram estar trabalhando para prestar assistência humanitária para a crise contínua envolvendo refugiados muçulmanos Rohingya, que fugiam de Mianmar. De acordo com o Turnbull, o líder de Mianmar, Aung Suu Kyi, abordou o assunto "de forma abrangente" nas reuniões deste domingo.

Sobre a Coreia do Norte, a declaração conjunta Austrália-Asean pediu que Pyongyang "cumpra de forma de imediata e integral as suas obrigações em todas as resoluções relevantes do Conselho de Segurança das Nações Unidas" e convidou todos os países a implementarem sanções contra os norte-coreanos. Turnbull foi ainda mais longe durante coletiva de imprensa e disse que a Asean e a Austrália reafirmaram seu compromisso de responder fortemente às "graves preocupações que compartilhamos sobre os programas de mísseis nucleares imprudentes e ilegais da Coreia do Norte".

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, que estão planejando conhecer o líder norte-coreano, Kim Jong-un, prometeram manter a "pressão máxima" sobre o regime autoritário de Kim e buscar ação para forçá-lo a entregar suas armas nucleares.

O primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong, atual presidente da Asean, afirmou que o bloco havia sido encorajado pelas negociações para as cúpulas e havia "notado os relatos do compromisso da Coreia do Norte coma desnuclearização e sua promessa de se abster de novos testes de mísseis nucleares durante esse período".

Em conflitos territoriais com a China, que, como a Austrália, não é membro da Asean, o comunicado disse que os líderes enfatizaram "a importância da não militarização e a necessidade de aumentar a confiança mútua, exercer autocontrole na condução de atividades e evitar ações que possam complicar a situação".

A China e os cinco países que têm reivindicações territoriais conflitantes sobre o Mar da China Meridional, que incluem quatro membros da Asean, planejam negociar um código de conduta para a movimentada via navegável, com a intenção de reduzir os riscos de confrontos armados nas áreas contestadas. Fonte: Associated Press.