• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Sanremo afirma que vai atuar em Vila Velha até 2024

  • COMPARTILHE
Geral

Sanremo afirma que vai atuar em Vila Velha até 2024

Em fevereiro, a Prefeitura de Vila Velha anunciou que o município seria integrado ao sistema Transcol

Na manhã da última terça-feira (13), a empresa divulgou uma nota dizendo que não procedem as informações de que a empresa iria ter o contrato encerrado, e que a Sanremo acredita que a prefeitura vai encontrar uma solução que agrade ambas as partes.

A Prefeitura de Vila Velha anunciou em fevereiro que o município seria integrado ao sistema Transcol. Na época, foi informado que a empresa Sanremo deixaria de atuar na região. A empresa voltou a se manifestar sobre o assunto. 

Veja a nota na íntegra publicada no site oficial:

Por nota, a Prefeitura de Vila Velha informou que a procuradoria do município está analisando o caso. 

Entenda

Foi anunciado em fevereiro que o transporte municipal de Vila Velha vai acabar dentro de 90 dias. O motivo seria a integração do município ao Sistema Transcol, responsável pelo transporte público metropolitano do Espírito Santo. Apenas empresas de dois consórcios do sistema vão operar o serviço, excluindo a atuação da empresa Sanremo na cidade.

De acordo com a subsecretária de Mobilidade Urbana da Secretaria de Estado dos Transportes e Obras Públicas, Luciene Becacici, foi a Prefeitura Municipal de Vila Velha (PMVV) quem procurou o Governo do Estado para dar início à integração, que é bem vista pelo Estado.

"A prefeitura procurou o Estado, a partir de problemas que o sistema municipal vive enfrentando, para buscar uma perspectiva de integração com o Sistema Transcol. O Estado, por outro lado, também enxerga como importante ter um sistema único de transporte metropolitano com uma rede integrada de linhas", explica.

Segundo Luciene, uma rede única otimiza e planeja melhor os serviços prestados para os usuários. "Isso é importante para que, no futuro, sejam feitos novos investimentos em melhoria do transporte coletivo. O nosso programa de mobilidade já previa essa integração em Vila Velha, portanto a demanda foi do nosso interesse", diz.

Para a integração, foi preparado um termo de acordo pela Setop, que analisou, juntamente com a prefeitura, a realidade do sistema municipal. Sobre o Transcol em Vila Velha, a subsecretária destaca que a realidade é interessante, porque 99% dos trajetos são superpostos. "São poucos os ônibus, entre sistema municipal e Transcol, que passam por uma rua e o outro em outra", comenta.

"Atualmente existem dois sistemas que não se conversam e o usuário acaba sendo o prejudicado. Se ele deseja sair do município, ele terá que pegar um outro coletivo e pagar uma outra passagem. Ter uma rede única é fundamental, porque multiplica as possibilidades dos usuários", ressalta Luciene.

Entenda na prática

A subsecretária frisa que não haverá nenhum déficit no serviço de transporte público prestado no município. Segundo ela, algumas linhas que são mais "carregadas" vão continuar exatamente como são hoje. "São linhas longas, que atendem bairros com grande demanda. Mas haverá outras que serão alteradas para integrar essa rede. O cidadão poderá saltar em um terminal de integração e, com uma tarifa única, multiplicar a acessibilidade".

A primeira etapa da integração é construir a rede única, que deve acontecer dentro dos 90 dias. Depois disso, serão iniciados os investimentos em tecnologia, com a chamada integração temporal, possibilitando que o usuário, ao pegar um ônibus dentro de um determinado tempo, não precise pagar uma nova tarifa. "O fato de Vila Velha ter quatro terminais rodoviários facilita muito essa etapa", fala Luciene.

Depois de construída a rede única, haverá um aprimoramento sucessivo da integração, como bilhetagens eletrônicas de Vila Velha e do Transcol. Atualmente, o cartão de um não vale para o outro. "Quando o cartão for um só, daremos um salto de qualidade com a integração temporal, da qual o tempo ainda vai ser calculado.

Sanremo

Em 2014, o Estado fez licitação para concessão do transporte metropolitano. Na ocasião, dois consórcios foram contratados para alcançar todos os municípios metropolitanos. A Sanremo, no entanto, não faz parte desses consórcios. "No caso da Sanremo, segundo a prefeitura de Vila Velha, existe um contrato precário e a construção jurídica para que essa empresa continue operando é complicada", afirma a subsecretária.

A reportagem tentou contato com a assessoria de comunicação da empresa Sanremo para posicionamento sobre os fatos, contudo não teve as ligações atendidas. Funcionários da empresa se reuniram na Câmara Municipal de Vila Velha na noite desta quarta-feira (28), na tentativa de buscar informações sobre a medida.

Prefeitura

Questionada sobre os motivos pelos quais a Prefeitura de Vila Velha buscou a integração junto ao Governo do Estado e sobre a permanência da Sanremo, bem como de seus profissionais na integração, a administração municipal se limitou a informar que reuniões estão sendo agendadas com a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Certurb) e a Setop para afinar todos os pontos da integração.