• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mais de 100 presos que estavam em regime semiaberto vão cumprir pena em casa

CORONAVÍRUS

Geral

Mais de 100 presos que estavam em regime semiaberto vão cumprir pena em casa

Detentos que tiveram o regime modificado, por conta do Novo Coronavírus, deverão usar a tornozeleira eletrônica

Foto: Divulgação

Juízes do Tribunal de Justiça do Espírito Santo mudaram o regime de 150 presos que estavam no semiaberto, para prisão domiciliar. A iniciativa foi tomada por conta da pandemia do Novo Coronavírus. A preocupação das autoridades é a transmissão da doença no sistema prisional.

Os detentos que tiveram o regime modificado deverão usar a tornozeleira eletrônica. A mudança se aplicou aos presos que se encaixam no grupo de risco para o Covid-19, como idosos, hipertensos, diabéticos e portadores de problemas respiratórios.

Por meio de nota, o Tribunal de Justiça informou que pediu a todas as unidades prisionais do Estado a relação de todos os detentos que estão no grupo de risco do Novo Coronavírus. A lista está sendo enviada diretamente aos juízes, que solicitam um laudo médico, dão vista ao Ministério Público e tomam as decisões sobre a mudança do cumprimento da pena dos detentos.

Segundo a Secretaria da Justiça do Estado (Sejus), atualmente existem 684 presos monitorados por meio das tornozeleiras eletrônicas. Com o equipamento, é possível acompanhar a localização do preso, e um alerta é feito quando o equipamento é descarregado, desconectado ou circula fora da área de abrangência autorizada. A Sejus informou ainda que entende a decisão do Poder Judiciário e acredita ser uma importante iniciativa de prevenção do covid-19.

Na tarde desta quarta-feira (25), o governo do Estado também anunciou medidas para diminuir o fluxo de pessoas em presídios. A Sejus já iniciou o credenciamento de familiares de detentos por meio do Whatsapp. A medida vale apenas para novos cadastros de visitantes. 

Segundo o governo,  a documentação original no cadastro deverá ser apresentada à unidade prisional em data pré-agendada para futura marcação da visita. O prazo para avaliação da documentação é de 30 dias.

* Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória / Record TV