• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Hilário não responde perguntas de Sales em audiência e advogado relata possível perseguição

  • COMPARTILHE
Geral

Hilário não responde perguntas de Sales em audiência e advogado relata possível perseguição

'A afirmação de Hilário, que, com relação a mim, há uma contenda pessoal, me soa como ameaça', fala Renan Sales, assistente de acusação do caso Milena Gottardi

Breno Ribeiro

Redação Folha Vitória
Renan Sales, assistente de acusação do caso (esq,) e Hilário Frasson, apontado como um dos mandantes do assassinato da médica Milena Gottardi

Acusado de ser um dos mandantes do assassinato de Milena Gottardi, o ex-esposo da médica, Hilário Frasson, se recusou a responder os questionamentos do assistente de acusação do caso, Renan Sales, durante audiência realizada nesta quarta-feira (25), no Fórum Criminal de Vitória, no Centro da Capital.

Segundo o advogado, a recusa de Hilário em responder as perguntas já havia sido 'avisada' pelo antigo advogado de defesa do acusado, Homero Mafra, em audiência realizada no dia 23 de fevereiro deste ano. Sales afirmou que Mafra havia dito, na ocasião, que Hilário somente não responderia às perguntas do assistente da acusação.

Ainda de acordo com o assistente, Mafra teria dito que o acusado possui "contenda de ordem pessoal" para com Renan. Segundo o advogado de acusação, toda a conversa foi presenciada pelas advogadas que acompanhavam Homero Mafra na ocasião.

Homero Mafra, contudo, informou que a contenda se dá entre Hilário e Renan e, como não faz mais parte do caso, não tem o que comentar, dizendo ainda que reprova a citação de seu nome na situação.

"Ainda na presença das indicadas advogadas, o dr. Paulo Panaro, eminente promotor de justiça também designado nos presentes autos, sem saber que o excelentíssimo advogado já havia fornecido o recado de seu até então cliente, encaminhou a mesma informação ao advogado assistente de acusação, ou seja, disse que o acusado Hilário somente não responderia às suas perguntas, pois, com relação a ele, a briga seria pessoal", manifestou Renan.

Citado por Renan Sales, o promotor de justiça Paulo Panaro não foi encontrado pela reportagem até o fechamento desta matéria. Contudo, mantém-se aberto o espaço para posicionamento de Panaro sobre os fatos.

Confirmação dos fatos

Renan disse que os fatos se confirmaram na audiência desta quarta, mediante a negativa de Hilário em responder suas perguntas. "O comportamento que desencadeou os fatos é extremamente grave, notadamente vindo de alguém cujo histórico de agressividade, nocividade, maldade e perniciosidade é evidente, consoante infere-se dos autos. A conduta, aliás, subsume-se àquela contida no artigo 147 do Código Penal, em que pese travestida de garantia constitucional – direito ao silêncio", afirmou. 

De acordo com Sales, a suposta ameaça se potencializa em razão de ser contra um advogado no exclusivo exercício de suas funções. Ele acrescenta ainda que a suposta ameaça em análise transcende à pessoa do assistente de acusação e agride, além da advocacia em geral, a todos membros do Ministério Público e magistrados. 

"Isto posto, serve o registro para que surta seus efeitos na presente ação penal e, não obstante, requer o envio de cópia da presente ata, bem como do depoimento do acusado Hilário, para a delegacia de polícia responsável em apurar o crime em apreço, servindo a presente como representação. Termos em que pede e espera por deferimento", finalizou Renan.

O atual advogado de defesa de Hilário, Leonardo Gagno, por sua vez, disse que a manifestação de Renan deveria ser cortada da ata, "uma vez que existe mecanismos jurídicos adequados para a apuração dos fatos narrados pelo eminente advogado assistente de acusação". As defesas de Dionathas Alves, Bruno Rodrigues, Hermenegildo Palauro, Esperidião Frasson e Valcir Dias concordaram com a manifestação de Gagno.

O Ministério Público se manifestou: "considerando que os fatos alegados teriam ocorrido em audiência deste processo em data anterior, o Ministério Público manifesta-se pelo indeferimento quanto ao pedido de extração do requerimento dos autos e pugna pelo encaminhamento ao Juízo Natural".

Por fim, o juiz de direito Marcos Pereira Sanches não acolheu a manifestação de Hilário porque, embora o fato tenha ocorrido em momento anterior, acabou, segundo Renan Sales, se concretizando na audiência desta quarta-feira, o que lhe dá direito de manifestar da melhor maneira que lhe aprouver.