• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cariocas estão sem BRT e com menor oferta de barcas e ônibus

  • COMPARTILHE
Geral

Cariocas estão sem BRT e com menor oferta de barcas e ônibus

O sábado, 26, dos cariocas está sem BRT e com menos barcas para Niterói, por causa da falta de combustível, decorrente da greve dos caminhoneiros. O BRT suspendeu todos os serviços dos corredores expressos Transoeste, Transcarioca e Transolímpica "por tempo indeterminado", segundo informou o consórcio. Os estoques de diesel das empresas consorciadas estão zerados, conforme nota de sexta-feira, 25, à noite. Os articulados voltarão a circular só quando a distribuição de combustível for restabelecida.

A CCR Barcas já havia informado que desenvolveu um plano de emergência para vigorar até segunda-feira, 28, por causa da falta de combustível para as barcas. A linha Arariboia (Rio-Niterói) não funcionará hoje. Nas linhas Charitas (Niterói), Paquetá e Cocotá parte das viagens foi cancelada. As medidas foram autorizadas pela Secretaria de Estado de Transportes e irão gerar uma redução de 8% no número de travessias realizadas pela concessionária regularmente, conforme a CCR Barcas divulgou.

Os ônibus comuns também estão circulando em menor quantidade. Táxis e Uber não foram afetados drasticamente, porque a maior parte se utiliza de gás natural.

O governador Luiz Fernando Pezão enviou na sexta-feira à Assembleia Legislativa do Rio um Projeto de Lei (PL) que propõe a redução da alíquota de ICMS do diesel no Estado de 16% para 12%, como resultado de acordo firmado entre o governo, transportadoras de combustível e o Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas do Estado do Rio, em reunião realizada nesta quinta-feira, 24. O PL será votado na casa em regime de urgência na próxima semana.

Na justificativa, o governador diz que a redução é importante "em face aos impactos causados pelos protestos dos caminhoneiros em todo o Brasil, que atingem os diversos setores da economia e de segurança pública, provocando desabastecimento de produtos, principalmente os de primeira necessidade como alimentos e remédios, sem contar com severos prejuízos na arrecadação de tributos em especial o ICMS." A decisão irá regular a alíquota do diesel do Rio em relação aos vizinhos São Paulo e Espírito Santo, que já praticam os 12%.