• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Domingos Martins promove campanha para discutir violência sexual nesta sexta-feira

  • COMPARTILHE
Geral

Domingos Martins promove campanha para discutir violência sexual nesta sexta-feira

A ação será no portal de entrada de Campinho, em Domingos Martins, de 9h à 12h e aberto ao público

No Brasil, só nos anos de 2015 e 2016, foram realizadas mais de 37 mil denúncias de violência sexual, o que representa apenas 10% dos casos, de acordo com os dados da Secretaria Especial de Direitos Humanos. Na intenção de lutar contra essa estatística, nesta sexta-feira (18), o município de Domingos Martins vai promover uma campanha para discutir o tema, informando a população e incentivando as denúncias de abuso.

Os participantes receberão flores, símbolo da campanha, junto aos materiais informativos e as equipes estarão à disposição para orientações, das 9h ao 12h. A iniciativa é da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

Em Domingos Martins, o Creas é o órgão social que acompanha os casos em que ocorre a violação dos direitos das crianças e adolescentes. Por meio de atendimento especializado, vítimas e familiares têm à disposição uma rede de serviços que incluem assessoria jurídica e psicológica, entre outros.

Além da prevenção, o combate a essa realidade exige que os casos sejam denunciados. Portanto, se você souber de algum caso de violência sexual infantil, procure o Conselho Tutelar, Creas, Delegacias Especializadas, Polícia Militar, Federal ou Rodoviária ou ligue de qualquer lugar do País para o Disque Denúncia Nacional, disque 100.

Caso Araceli

O dia 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes porque é data também de um dos mais bárbaros crimes cometidos contra crianças. Ocorrido em 1973, a menina Araceli, 8 anos, foi sequestrada, brutalmente abusada e assassinada por jovens de classe média de Vitória, no Espírito Santo. Em todo o País, são realizados atos de mobilização social para conscientizar a população sobre a importância da denúncia e estimular o desenvolvimento de políticas públicas para o enfrentamento a esse tipo de violência.