• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Igreja do Carmo é aberta para visitação a partir desta quarta-feira

  • COMPARTILHE
Geral

Igreja do Carmo é aberta para visitação a partir desta quarta-feira

Assim, tanto a monitoria quanto a visitação voltam a ser ofertadas de quarta a domingo, das 13 às 17 horas

A Igreja do Carmo, que integra o projeto Visitar Centro Histórico, estará aberta novamente ao público a partir desta quarta-feira (9). O monumento estava fechado para restauração do telhado e do teto.

O trabalho foi feito pela Mitra Arquidiocesana de Vitória, responsável pela edificação centenária. Assim, tanto a monitoria quanto a visitação voltam a ser ofertadas de quarta a domingo, das 13 às 17 horas.

Fazem parte do roteiro do Visitar ainda as igrejas Nossa Senhora do Rosário e São Gonçalo, o Convento São Francisco e a Catedral Metropolitana de Vitória.

A Capela Santa Luzia atualmente está fechada para obras de restauração pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), assim como o Theatro Carlos Gomes, que recebe melhorias no telhado e parte elétrica, cujo trabalho está sendo executado pelo Governo do Estado.

"Em cada um desses locais, os monitores apresentam aos visitantes a história e as curiosidades dos patrimônios de forma artística, arquitetônica e cultural, estimulando o morador a conhecer sua cidade, divulgando os atrativos e tornando-se mais receptivo aos turistas", aponta o presidente da Companhia de Desenvolvimento, Inovação e Turismo de Vitória, Leonardo Krohling.

História

O Convento de Nossa Senhora do Monte do Carmo foi fundado em 1682 por padres carmelitas. O conjunto era formado pelo convento propriamente dito, pela Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo e pela Capela da Ordem Terceira. Todos possuíam estilo colonial, com linhas barrocas.

Em 1872, o edifício foi assumido pelo governo provincial, que o utilizou em várias funções, inclusive a de quartel militar. Entre 1910 e 1913, passou por reformas, ganhando mais um andar, enquanto a igreja recebia uma roupagem eclética e a influência do estilo gótico.

A capela que ficava ao lado da igreja foi demolida em 1930. Em 1984, sua fachada foi tombada pelo Conselho Estadual de Cultura. A igreja dispões de imagens em seus altares e quadros da Via-Crúcis.