• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Macron recebe Zuckerberg e defende regulamentos mais rígidos para as techs

  • COMPARTILHE
Geral

Macron recebe Zuckerberg e defende regulamentos mais rígidos para as techs

O presidente da França, Emmanuel Macron, recebeu o presidente-executivo (CEO) do Facebook, Mark Zuckerberg, e outros gigantes da internet nesta quarta-feira para uma reunião em Paris onde foram discutidas a proteção de dados pessoais e impostos, enquanto a França pressiona por regulamentações europeias mais rígidas. Além de Zuckerberg, estiveram presentes líderes de outras empresas de tecnologia como Microsoft, IBM e Uber no evento chamado "Tech for Good", destinado a abordar como eles poderiam usar sua influência global para o bem público.

A reunião acontece no momento em que o Facebook, o Google e outros gigantes online são cada vez mais vistos pelo público como predadores que abusam de dados pessoas, evitam impostos e sufocam a concorrência. Macron, antes de seu encontro no Palácio do Eliseu, disse que planejava continuar pedindo a Zuckerberg que fizesse "compromissos".

"A França defende a ideia de regulamentos rígidos", como um imposto digital de 3% sobre a receita bruta das empresas de tecnologia na União Europeia, disse Macron, acrescentando que "é crucial" que as giant techs paguem impostos. Ele também quer novos regulamentos para combater a propaganda extremista online e o bullying cibernético.

A privacidade foi outra questão levantada por Macron com Zuckerberg e outros executivos de tecnologia em reuniões individuais e um almoço no palácio presidencial com filantropos e políticos. O executivo-chefe do Facebook chegou a Paris depois de enfrentar duras perguntas de legisladores da União Europeia em Bruxelas, onde pediu desculpas pela maneira como a rede social foi usada para produzir notícias falsas e interferir nas eleições. De acordo com Zuckerberg, "não tivemos uma visão ampla o suficiente de nossas responsabilidades. Isso foi um erro, e eu sinto muito por isso". Fonte: Associated Press.