• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mesmo após anúncio de acordo, paralisação nos trevos de Guarapari continua

Paralisação dos caminhoneiros

  • COMPARTILHE
Geral

Mesmo após anúncio de acordo, paralisação nos trevos de Guarapari continua

O acordo proposto pelo governo envolveu somente o diesel, e a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) recusou a proposta.

Aline Couto

Redação Folha da Cidade
A categoria segue com a paralisação em Guarapari.

O acordo divulgado pelo governo na noite desta quinta-feira (24) teve a participação de onze entidades do setor de transporte, em sua maioria caminhoneiros, que participaram do encontro. Mas o acordo não foi unanimidade entre elas: a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), que representa 700 mil caminhoneiros, recusou a proposta.

Segundo o presidente da associação, José Fonseca Lopes, que deixou a reunião no meio, a paralisação irá continuar. “Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. […] vim resolver o problema do PIS, do Cofins e da Cide, que está embutido no preço do combustível”, disse.

Os caminhoneiros que protestam nos trevos de Guarapari são da mesma opinião de Lopes e seguem em manifestação. “Deixamos tudo na mão do sindicato e se eles não estão de acordo com a proposta nós acatamos. Queremos o melhor para toda a categoria”, contou um dos caminhoneiros que permanece parado na rodovia.

Reivindicações 

Os representantes dos caminhoneiros pedem o fim da carga tributária sobre o óleo diesel. Eles contam com a aprovação, no Senado, da isenção da cobrança do PIS/Pasep e da Cofins incidente sobre o diesel até o fim do ano. A matéria foi aprovada ontem pela Câmara e segue agora para o Senado. Caso seja aprovada, a isenção desses impostos precisará ser sancionada pelo presidente da República.