• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Motociclistas interditam Terceira Ponte em protesto contra preço dos combustíveis

Paralisação dos caminhoneiros

  • COMPARTILHE
Geral

Motociclistas interditam Terceira Ponte em protesto contra preço dos combustíveis

Viaturas da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) acompanham o protesto, que acontece de maneira pacífica.

Os manifestantes interditam, parcialmente a Terceira Ponte, no sentido Vitória a Vila Velha

Um grupo de motociclistas realiza um protesto contra o aumento dos preços dos combustíveis na tarde desta sexta-feira (25). Os manifestantes interditam, parcialmente a Terceira Ponte, no sentido Vitória a Vila Velha.

Apenas uma faixa da ponte segue liberada pelo grupo. Viaturas da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) acompanham o protesto, que acontece de maneira pacífica. Veja a situação do trânsito em tempo real!

Protesto de caminhoneiros

Pelo quinto dia consecutivo, caminhoneiros protestam em rodovias federais do Espírito Santo contra o preço elevado dos combustíveis. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), são 16 pontos de bloqueio em vias que cortam o Estado.

Assim como desde o início do protesto, apenas caminhões, segundo a PRF, estão sendo impedidos de seguirem viagem. Carros de passeio, ambulância, ônibus, entre outros, têm o trânsito livre.

O bloqueio faz parte das manifestações dos caminhoneiros contra o aumento do preço do combustível. Os caminhoneiros continuam com protestos em vários pontos da BR-101, BR-262, BR-259 e BR-447.

Aeroporto

O Aeroporto de Vitória possui reserva de combustível para as aeronaves por apenas 18 horas, de acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que divulgou um balanço nesta quinta-feira (24), revelando que em nove aeroportos do Brasil o combustível só é suficiente para assegurar as atividades até esta sexta-feira.

Prejuízos

A Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) entrou com ação civil pública nesta quinta-feira (24) solicitando a liberação das rodovias federais. O pedido de liminar contra a paralisação dos caminhoneiros, protocolado na 5ª Vara Cível Federal, foi assinado por Findes, Fetransportes, Faes e Espírito Santo em Ação.

O texto argumenta que a realização de piquetes e bloqueios nas rodovias do Espírito Santo vem causando desabastecimento, afetando a sociedade e as empresas. O presidente do Sistema Findes, Léo de Castro, estimou em R$ 200 milhões o prejuízo para as indústrias capixabas.

Acordo

Após negociação do Governo e representantes de caminhoneiros nesta quinta-feira (24), as partes chegaram a um acordo e a paralisação será suspensa por 15 dias. Para que os trabalhadores voltassem para a estrada, a Petrobras deve manter a redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 30 dias enquanto o governo costura formas de reduzir os preços. A empresa mantém o compromisso de custear esse desconto, estimado em R$ 350 milhões, nos primeiros 15 dias. Os próximos 15 dias serão patrocinados pela União.

O governo também prometeu uma previsibilidade mensal nos preços do diesel até o final do ano sem mexer na política de preços da Petrobras e irá subsidiar a diferença do preço em relação aos valores estipulados pela estatal a cada mês. “Nos momentos em que o preço do diesel na refinaria cair e ficar abaixo do fixado, a Petrobras passa a ter um crédito que vai reduzindo o custo do Tesouro”, disse o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia.