• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Prateleiras vazias: supermercados do ES ficam sem estoque com greve de caminhoneiros

Paralisação dos caminhoneiros

  • COMPARTILHE
Geral

Prateleiras vazias: supermercados do ES ficam sem estoque com greve de caminhoneiros

A Acaps informou que é possível que o abastecimento de carnes resfriadas, como a bovina e suína, também seja prejudicado

No hortifruti de cacheiro muitos produtos estão em falta nas prateleiras

O estoque de frutas, verduras e legumes já está acabando em diversos supermercados e hortifrutis do Espírito Santo. Segundo o responsável por um hortifruti de Cachoeiro de Itapemirim, o que tinha já não tem mais e o que ainda tem é o que é produzido na região.

“Temos alguma coisa guardada, que é o que está disponível, mas vai acabar logo. Se até amanhã não voltar ao normal a situação dos caminhoneiros, tudo o que temos vai acabar. Mesmo assim entendemos a posição dos manifestantes. Sabemos que se nada for feito o preço do combustível continuará subindo. A situação é ruim para todos”, afirmou.

De acordo com o superintendente da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps), Hélio Hoffmann Schneider, os problemas começam a piorar a partir desta quinta-feira (24), quando a paralisação dos caminhoneiros chega ao quarto dia.

>> Manifestação de caminhoneiros chega em 15 pontos de rodovias do Espírito Santo

“Normal não está. A partir de hoje os problemas são os de abastecimento de hortifruti. Todos os produtos são abastecimento diariamente, não tem estoque, e o que tem é mínimo. O bloqueio na Ceasa, além dos bloqueios em regiões de montanha, que são os maiores produtores, como Santa Maria e Domingos Martins, também atrapalham. Além disso, tem os laticínios em geral, que o abastecimento também é feito todos dia. A partir de agora, que vai passando o tempo, os problemas vão se agravando cada vez mais”, disse o superintendente.

Schneider destacou também que é possível que o abastecimento de carnes resfriadas, como a bovina e suína, também seja prejudicado. “ A gente espera do Governo. É uma greve que tem significado, é um absurdo esse aumento, esperamos que as autoridades se sensibilizem para resolver esse impasse, porque pode ter problemas maiores. Prejuízo já temos”, destacou.