• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Produtos sem selo de inspeção não poderão ser comercializados em feiras de Guarapari

  • COMPARTILHE
Geral

Produtos sem selo de inspeção não poderão ser comercializados em feiras de Guarapari

Prefeitura alerta consumidores para a procedência de produtos comercializados nas feiras do município e produtores sobre a importância do registro.

Carolina Brasil

Redação Folha da Cidade
Produtos como ovos, leite, mel, carnes e peixes, por exemplo, devem passar por inspeção.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura (Semag) de Guarapari realiza ações informativas e de orientação para consumidores e produtores rurais que comercializam produtos de origem animal em feiras da cidade. O projeto é parte do processo de Ordenamento das Feiras Municipais, conforme a Lei Municipal 4142/2017.

O objetivo é o fazer cumprir a lei e fortalecer as agroindústrias de pequeno porte do município. “Não podemos permitir, em nossas feiras e comércios, a venda de alimentos sem procedência. Através do selo do Serviço de Inspeção Municipal (S.I.M.), estamos garantindo a qualidade dos produtos produzidos por essas agroindústrias, pois eles serão vistoriados e receberão toda assistência técnica da Semag. Estamos cuidando para que a população, que consome os produtos das agroindústrias de Guarapari, saiba que está consumindo alimentos de muita qualidade”, informou a Secretária Municipal de Meio Ambiente e Agricultura, Christina Santos.

Produtos sem inspeção não poderão ser comercializados em feiras de Guarapari.

O registro em órgãos de inspeção, seja municipal, estadual ou federal, não é apenas uma questão de saúde pública, sem ele o produtor não poderá comercializar os produtos nas feiras de Guarapari. 

Segundo o município, a previsão em de que em três semanas todos os produtos de origem animal estejam rotulados e com selo de inspeção. Guarapari possui agroindústrias que comercializam produtos de origem animal como mel, laticínios, ovos caipiras, pescados, linguiças e defumados, por exemplo. 

A Semag informou que a intensão do S.I.M. é regularizar e agregar valor a esses produtos. “A agroindústria quando inscrita no Serviço de Inspeção Municipal, é acompanhada, recebe treinamentos, orientações e tem seus produtos inspecionados. Isso abre mercado para os produtores que podem acessar, inclusive, as compras governamentais, como por exemplo, a merenda escolar”, afirmou o médico veterinário, coordenador do S.I.M., Arivald Santos Ribeiro.