• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ruas continuam sem enfeites, mas comércio está animado a menos de um mês para Copa

  • COMPARTILHE
Geral

Ruas continuam sem enfeites, mas comércio está animado a menos de um mês para Copa

Se as cores verde e amarelo ainda não fazem parte das ruas do Estado, o comércio está bastante animados com as vendas relacionas a Copa do Mundo

Gustavo Fernando

Redação Folha Vitória

A menos de um mês para o início da Copa do Mundo da Rússia, a animação dos capixabas com o maior evento envolvendo o esporte mais popular do país ainda é fraca. Dessa forma, bandeirinhas, flâmulas e pinturas coloridas ainda não fazem parte da paisagem das ruas da Grande Vitória. 

Quem passa pelo bairro Bonfim, em Vitória, percebe que as lembranças da última Copa ainda estão nas paredes de algumas casas. Mas por ora, não estão relacionadas a decoração deste ano. Para a dona de casa Mara Calazans, de 57 anos, o clima relacionado a Copa já foi maior em outros anos. 

"Pelo que lembro, enfeitamos nossas ruas desde a Copa de 1986, no México. De lá pra cá, reunimos alguns moradores e entramos no clima com bandeirinhas e pinturas. Ainda não nos organizamos para esse ano, mas pode ter certeza que com a proximidade da Copa, todos vão se empolgar", revela Mara.

 As ruas da Grande Vitória ainda continuam sem os "clássicos" enfeites e pinturas da Copa

Ela também cita que ainda não viu nenhuma rua enfeitada. "Acho que as pessoas ainda não entraram no clima da Copa. Mas acredito que, chegando perto do primeiro jogo da Seleção Brasileira, tudo vai ser diferente".

Essa também é a opinião do jornalista e apresentador Rodrigo De Martino, do Dividida F.C, programa esportivo da Rede Vit´ória. "Acho que a crise econômica e política acabou deixando o futebol em segundo plano. Mas com a proximidade da estreia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, e com toda a repercussão da imprensa em torno do assunto, o interesse vai aumentar", aposta.

Comércio

Se as cores verde e amarelo ainda não fazem parte da paisagem nas ruas do Estado, o comércio está bastante animado com as vendas relacionas ao evento. 

Segundo o gerente da Megalar, Maycon Nilberto, os capixabas estão começando a procurar artigos relacionados a Copa do Mundo. " Começamos a receber artigos da Copa nos últimos meses, como vuvuzelas, buzinas e bandeiras e, aos poucos,  as vendas estão acontecendo. Espero que aumente a procura e consequentemente as vendas", afirma. 

Otimismo. Essa é a palavra que define a perspectiva de vendas relacionadas aos artigos da Seleção Brasileira do gerente comercial da Ícone Sports,  Cristiano Carneiro. "Já possuímos em nossas lojas diversos artigos relacionados a Copa do Mundo e a Seleção Brasileira, como camisas casuais para a torcida, réplicas, calções e bandeiras. E, no último mês, as vendas relacionadas ao tema cresceram cerca de 30%. Acredito que até a estreia do Brasil essa margem chegue a 70%", ressalta.

Cristiano revela que a expectativa será maior ainda nos próximos dias, quando começará a vender, por aproximadamente R$ 79,90, as réplicas da camisa oficial do Brasil na Copa 2018. "Preparamos um estoque de mais de 5 mil itens relacionados a Seleção Brasileira e, assim como na última copa, quem deixar para última hora vai correr risco de ficar sem produto", revela.

Já para quem prefere vestir a blusa oficial da Seleção Brasileira na Copa 2018, os valores assustam, mas para quem está no clima do evento, vale a pena. No site oficial da Nike, patrocinadora do Brasil, a camisa do torcedor está sendo vendida por R$ 249,90. Já a oficial, igual a que os craques da amarelinha vão utilizar na estreia da seleção,  no dia 17 de junho, contra a Suíça, está sendo vendida por R$ 449,90.