• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Venda Nova discute soluções para o controle de animais de rua

  • COMPARTILHE
Geral

Venda Nova discute soluções para o controle de animais de rua

Reunião com autoridades do município visava encontrar soluções para reduzir o número de cães e gatos abandonados

Como já foi mostrado aqui no Folha Vitória, a situação dos animais de rua está em evidência nas pautas da prefeitura de Venda Nova do Imigrante. Na última quarta-feira (16), representantes da Prefeitura, Câmara Municipal, sociedade organizada e comunidade se reuniram para discutir a situação e buscar soluções de como diminuir o número de animais de rua, caso que já virou questão de saúde pública.

Durante a reunião, vários posicionamentos e relatos foram ouvidos e discutidos, chegando à criação de uma comissão, composta por membros de vários setores que terão a responsabilidade de ouvir, discutir e viabilizar soluções. Entre elas, a mais comentada foi a castração, ideia que foi vista com preocupação por parte da Camila Zandonadi, coordenadora de Vigilância em Saúde. “Já existe um diálogo da Prefeitura com uma faculdade que poderia realizar esse procedimento de castração, mas há outras questões que precisam ser levadas em conta, como o pós-operatório”, reforçou.

Alguns representantes de um grupo voluntário, sugeriram a castração por etapas, cada uma envolvendo poucos cães, atitude que permitiria que o grupo de responsabilizasse pela guarda e cuidados até que tivessem em condições de serem soltos.

Apesar de ainda não haver uma decisão definitiva sobre o assunto, o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Alexandre Filete, sinalizou a possibilidade de utilizar recursos da pasta de Meio Ambiente para a castração dos animais, mas destacou que isso depende da aprovação do Conselho Municipal de Meio Ambiente e de um plano bem elaborados.

Responsabilidade de todos

Foi consenso entre os vários participantes do debate que a conscientização da população é fundamental. Para isso, foi proposta mobilização dos moradores, além de distribuição de material informativo nas escolas e veiculação de campanhas no rádio e redes sociais.