• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Volume de chuva surpreende e causa estragos na zona rural e região norte de Guarapari

  • COMPARTILHE
Geral

Volume de chuva surpreende e causa estragos na zona rural e região norte de Guarapari

A cidade está em estado de alerta para queda de barrancos e encostas, devido ao excesso de chuva e solo encharcado, conforme alerta da Defesa Civil Estadual.

Carolina Brasil

Redação Folha da Cidade
Caminhão de água potável para comunidade de Iguape, a mais atingida da zona rural de Guarapari.

Assim como outras chuvas recentes, que também causaram estragos na cidade, a de ontem, que começou por volta das 18h se estendendo até a madrugada desta quarta-feira (09) teve um elemento a mais: a surpresa. Não foi previsto por nenhum boletim meteorológico a intensidade e nem o volume, que foi de 115,3 milímetros. “Havia previsão de tempo nublado com chuvas ocasionais, mas a natureza, muitas vezes imprevisível, trouxe esse volume inesperado para tão pouco tempo. Não recebemos nenhum alerta de chuva intensa”, ressaltou Romildo Scalzer, coordenador da Defesa Civil de Guarapari.

De acordo com o órgão, a zona rural da cidade foi a mais afetada com quedas de barreiras em pontos da região - Cabeça Quebrada, Buenos Aires e São Miguel. Em Buenos Aires, foi necessário interditar uma casa por queda de barranco. A Prefeitura disse que não há morador fixo no local. Iguape, como já noticiamos, foi a comunidade rural mais atingida.

Cadastro de famílias atingidas em Iguape. 

Em nota, a Prefeitura de Guarapari comunicou que está sendo realizado o cadastramento das famílias atingidas em Iguape, por meio da equipe da Secretaria Municipal de Trabalho, Assistência e Cidadania, que também está arrecadando doações. Quem quiser ajudar, pode procurar a sede da Setac, situada à Rua Santo Antônio, ao lado da Delegacia da Mulher, em Muquiçaba – telefone: (27) 3261-1377. Ao todo, 35 famílias que tiveram as casas atingidas foram cadastradas. Não há desalojados ou desabrigados na região.

Entorno da Escola Francisco Araújo, Perocão. 

Já em área urbana, a região norte da cidade foi a mais afetada pelos alagamentos. “Santa Mônica, Pontal de Santa Mônica e parte de Perocão registraram muitos alagamentos, mas a Defesa Civil Municipal não recebeu nenhum comunicado, até agora, de queda de árvores ou muros em bairros urbanos”, pontou Scalzer.

O município informou que está monitorando todo o município e fazendo o balanço das áreas e famílias atingidas, através do trabalho da Defesa Civil Municipal e das secretarias municipais de Obras Públicas e de Trabalho, Assistência e Cidadania. Uma família de Santa Mônica ficou desabrigada e já foi cadastrada para recebimento de aluguel social, segundo a Prefeitura.

As áreas atingidas e os estragos estão sendo contabilizados pelo município de Guarapari.

O coordenador da Defesa Civil do município destaca que a cidade de Guarapari recebeu da Defesa Civil Estadual sinal de alerta para a movimentação de massa, ou seja, queda de barrancos e encostas, devido ao excesso de chuva e solo encharcado.

Previsão do tempo

O tempo continua instável em Guarapari e toda região litoral sul. De acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural – Incaper, a quinta-feira será de sol entre nuvens com chuvas rápidas à noite. A instabilidade permanece até sexta-feira.

Colabore!

Participe enviando informações à nossa redação. Registre a situação das chuvas em sua localidade e envie para o nosso WhatsApp (27) 99780-1213.