• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cursos profissionalizantes de rápida duração se tornam oportunidade para jovens no ES

TRANSFORMAÇÃO

  • COMPARTILHE
Geral

Cursos profissionalizantes de rápida duração se tornam oportunidade para jovens no ES

Geralmente, os cursos são feitos com 80 horas/aula, realizados em dois a três dias por semana, durante dois meses

Breno Ribeiro

Redação Folha Vitória
O que era um passatempo para a jovem Nathália Pereira (dir.) se tornou profissão | Foto: TV Vitória

Apesar de a taxa de desemprego no Espírito Santo ter apresentado redução no último trimestre de 2017, mais de 244 mil capixabas continuam sem ocupação, conforme apontam os números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Uma opção para fugir do desemprego tem sido cursos de rápida duração.

Entre os cursos mais procurados, com rápida inserção ao mercado de trabalho, estão os de: maquiador, vendas pela internet, vendedor, fotógrafo, DJ, vídeo para redes sociais, instalador de redes de computador, desenhista de moda, panificação, configuração de redes domésticas, manipulação e higiene de alimentos, informática e documentos para escritório e recepcionista.

Cursos profissionalizantes de rápida duração se tornam oportunidade para jovens no ES

Todos essas especializações já foram oferecidas, de forma gratuita, a jovens que moram em bairros considerados violentos no Estado, por meio de um projeto inovador que leva o professor até o aluno, realizado pelo CEET Vasco Coutinho em parceria com o programa Ocupação Social. A ação é uma parceria entre as Secretarias de Estado de Direitos Humanos (SEDH) e de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti).

O que era um passatempo para a jovem Nathália Pereira, moradora do bairro Flexal, em Cariacica, se tornou profissão. A menina aproveitou a paixão pela fotografia e resolveu se profissionalizar através de um curso no Ocupação Social. "Eu me inscrevi, comecei a fazer o curso e finalizei. Desde então, começou a surgir bastante casamentos, aniversários, ensaios de família e por aí foi... E hoje é sucesso", comemora Nathália.

Com o dinheiro conquistado, ela realizou o primeiro investimento comprando uma câmera profissional. "Meu projeto para o futuro é fazer faculdade e me formar em fotografia, administração... E abrir um escritório para mim", revela.

Público atendido

O foco nos jovens está baseado em uma pesquisa, divulgada pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), que identificou que mais de 400 mil rapazes e moças com idades entre 15 e 29 anos - cerca de 46% da população capixaba com a mesma idade -, não estavam inseridos no mercado de trabalho em 2015. Além disso, os jovens são constantemente vítimas da violência que assola bairros vulneráveis no Estado.

Entre os anos de 2015 e 2017, foram ofertados quase 7 mil cursos de qualificação profissional e de formação e conhecimento básico em empreendedorismo nos bairros atendidos pelo Ocupação Social. O interesse dos inscritos é tão grande, que a média de conclusão dos cursos ultrapassa 70%.

Segundo pesquisa feita pelo IJSN, em parceria com a SEDH e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), nos bairros atendidos pelo programa, 89% dos jovens entrevistados pretendem voltar a estudar e 41 deles buscam alcançar um curso superior. Além disso, 83% desejam fazer cursos de qualificação profissional, 75% sonham em abrir o próprio negócio e 99% reconhecem que o trabalho é importante para sustentar a família.

Expansão de oportunidades

O programa, que tem por objetivo levar capacitação e atividades físicas e esportivas aos bairros vulneráveis, deve continuar expandindo, através investimentos em recursos pelo Governo do Estado. A expectativa é que mais de R$ 200 milhões sejam aplicados nos próximos anos.

Segundo o secretário de Estado de Direitos Humanos, Leonardo Oggioni, a verba ampliará as oportunidades para os jovens atendidos em 26 bairros do Estado. "Isso vai ajudar a dar uma alavancada em todo o programa. E, nesses 26 bairros, vão ser implementados 26 centros de cidadania", afirma.

Veja o vídeo abaixo: