• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Jornalismo da RecordTV leva prêmio de procuradores da República

  • COMPARTILHE
Geral

Jornalismo da RecordTV leva prêmio de procuradores da República

Matéria sobre a guerra de facções em presídios brasileiros, exibida no programa Câmera Record, foi a vencedora na categoria jornalismo

Procuradora-geral, Raquel Dodge, e Gabriela Pimentel, da RecordTV. | Foto: Reprodução

A equipe de jornalismo da RecordTV, representada pela produtora do Núcleo de Reportagens Especiais Gabriela Pimentel, recebeu em Brasília, nesta segunda-feira (4), o Prêmio República de Valorização do Ministério Público Federal, da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), na categoria telejornalismo.

A produção vencedora foi “Dossiê Presídios: a guerra das facções”, do programa Câmera Record. A reportagem, que foi exibida em janeiro de 2017, investigou e levou ao público um especial exclusivo sobre as conexões do crime organizado e mostrou o motivo de as cadeias brasileiras terem se transformado em arenas de guerra, além de escancarar os segredos das facções criminosas, como o Sindicato RN, Família do Norte, Comando Vermelho, PCC e o Bonde dos 40.

Rafel Gomide, chefe de redação da RecordTV, destacou a importância do prêmio para a emissora.

— É um dos prêmios mais importantes do país.

Quatro equipes de jornalistas foram enviadas para os presídios mais violentos do Brasil. A reportagem conseguiu com exclusividade entrar no Complexo Penitenciário São Luís após o assassinato de 22 presos, em 2013, no Maranhão.

Para Gomide, a reportagem foi importante para esclarecer às pessoas o que estava ocorrendo no país naquele momento.

— Havia muita notícia sobre o que estava acontecendo [rebeliões em várias penitenciárias], mas ninguém explicava por qual motivo ocorria tantas matanças dentro dos presídios. Nós decidimos que deveríamos explicar o que era essa disputa da rota do tráfico.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, uma das juradas do prêmio, classificou as matérias vencedoras como "inspiradoras" para o trabalho diário dos procuradores do MPF (Ministério Público Federal).

— Ao premiá-los, a ANPR reconhece no trabalho deles um exemplo inspirador para cada um de nós.

Esta foi a sexta edição do prêmio, que tem como missão integrar os principais elementos da luta pela cidadania e pelos direitos humanos. Os trabalhos foram analisados por 12 jurados convidados, que levaram em consideração os seguintes aspectos nas reportagens: eficiência, alcance social, criatividade, potencial de multiplicação e complexidade.