• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Perda de olfato ou paladar será suficiente para testagem pelo SUS. Entenda os novos critérios!

CORONAVÍRUS

Geral

Perda de olfato ou paladar será suficiente para testagem pelo SUS. Entenda os novos critérios!

Além disso, poderá fazer o teste para detecção do coronavírus no Espírito Santo qualquer pessoa que apresente pelo menos dois sintomas de síndrome gripal, independente da idade ou de ter alguma comorbidade

Foto: Agustin Marcarian

Antes restrito a determinados grupos, como idosos, profissionais da saúde, grávidas e indígenas, por exemplo, o teste do tipo PCR, para detecção do novo coronavírus, agora poderá ser feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em qualquer pessoa que apresente pelo menos dois sintomas de síndrome gripal, como tosse, coriza, febre, dor de garganta e dor de cabeça, independente da idade ou de ter alguma doença pré-existente. Além disso, a perda do olfato ou do paladar já serão suficientes para a pessoa fazer o teste também, mesmo que não haja nenhum outro sintoma associado.

A ampliação da coleta de exames foi anunciada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), durante uma coletiva realizada na segunda-feira (14). A nova definição de casos operacionais e critérios está disponibilizada na Nota Técnica COVID-19 Nº 73/2020, que revoga a publicação da Nota Técnica COVID-19 Nº 70/2020.

Com a ampliação da testagem para toda a população, o governo do Estado pretende ter um controle maior sobre os casos positivos da doença. "É uma estratégia que o Espírito Santo está saindo na frente. Estamos nos preparando, pactuamos já com os municípios, que recebem a maior parte dos pacientes. E os municípios, na medida em que essa nova metodologia for publicada, iniciam essas atividades em seu território", explicou o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, durante a coletiva.

O teste de PCR é aquele que coleta secreção da garganta e do nariz, e tem que ser feito entre o terceiro e o sétimo dia do aparecimento dos sintomas. Ele é feito em unidades de saúde, PA's e hospitais públicos de municípios e também do Estado. As análises são feitas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen), que tem capacidade para 2,5 mil testes de PCR por dia. Segundo a Sesa, até a tarde desta terça-feira (15), já tinham sido feitos mais de 340 mil testes PCR em todo o Espírito Santo.

A infectologista Rubia Miossi acredita que a ampliação da testagem vai permitir um melhor controle da doença pelo poder público, além de restringir a necessidade de isolamento a quem de fato está com o vírus.

"Quanto mais pessoas sintomáticas eu testar, melhor vai ser a forma de eu controlar, porque eu posso orientar o isolamento das pessoas positivas de uma maneira mais fácil do que antes. Antes eu só poderia fazer o isolamento dos positivos dos grupos de risco, e aí eu teria que manter em isolamento todas as pessoas que tivessem qualquer sintoma, mesmo que não tivesse coronavírus, porque não fez o exame", destacou a médica.

"Fazendo o exame agora, eu vou conseguir separar quem de fato é positivo de quem é negativo, e aí sim manter o isolamento somente dos positivos. Então agora a gente vai ter, de fato, dados reais de quantas pessoas com coronavírus a gente tem no nosso estado", completou Rubia Miossi.

Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV