• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Homem morre dentro do Hospital das Clínicas após quebrar janelas e invadir sala

  • COMPARTILHE
Geral

Homem morre dentro do Hospital das Clínicas após quebrar janelas e invadir sala

A ocorrência foi atendida pela equipe do plantão do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e o caso seguirá sob investigação

Um homem morreu após uma confusão na madrugada desta sexta-feira (12), no Hospital das Clínicas, em Vitória. Segundo informações da polícia, um homem muito alterado e agressivo, entrou em uma sala do hospital quebrando tudo e acabou caindo.

Em entrevista à equipe de reportagem da TV Vitória, um familiar do homem, que foi identificado como Emerson Reis, de 43 anos, contou que ele passou a noite bebendo ao lado da família e, em um determinado momento, disse que ia embora. No entanto, ao invés de ir para casa, ele acabou indo para o Hospital. De acordo com seguranças, o homem, que trabalhava como vidraceiro, chegou ao local alterado.

Testemunhas contaram que, inicialmente, ele tentou pegar a arma de um segurança que estava na entrada no hospital. No entanto, foi impedido e subiu a ladeira correndo para tentar entrar no pronto-socorro.

Todo o hospital possui janelas e portas de vidro e, segundo investigadores, Emerson usou a habilidade de vidraceiro para retirar parte da estrutura de uma janela. Policiais contaram que, dentro do espaço, o homem quebrou outras janelas, um computador e alguns móveis. Uma enfermeira, que não quis gravar entrevista, disse ainda que o vidraceiro sofreu uma queda de um lugar alto. Segundo a polícia, após cair ele foi contido por seguranças do local. No entanto, passou mal e acabou morrendo minutos depois. 

Familiares contaram ainda que o vidraceiro tinha pressão alta e fazia uso de remédio controlado. Por conta disso, ele pode ter ido ao local buscar ajuda médica. Familiares estiveram na Divisão de Homicídios de Vitória para prestar depoimentos na manhã desta sexta-feira. A irmã de Emerson não acredita na versão contada pelos funcionários do hospital e, segundo ela, ele não tentaria tirar a arma, pois já tinha bebido e estava sem condições de fazer isso.

A ocorrência foi atendida pela equipe do plantão do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e o caso seguirá sob investigação. A equipe de reportagem tentou contato com o Hospital das Clínicas, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem.