VÍDEO | Sistema Transcol terá quatro ônibus elétricos a partir do ano que vem

Geral

VÍDEO | Sistema Transcol terá quatro ônibus elétricos a partir do ano que vem

Os ônibus devem começar a operar no primeiro semestre, mas as regiões que serão contempladas com a novidade ainda não foram divulgadas

Foto: Divulgação

A partir de 2022, mais quatro ônibus estarão circulando pelas ruas da Grande Vitória, operando no sistema Transcol. Os veículos têm como diferencial o fato de serem 100% elétricos. 

A previsão é que comecem a operar no primeiro semestre. As regiões capixabas que serão contempladas com a novidade ainda não foram divulgadas. 

O anúncio foi feito pelo governador Renato Casagrande, durante o XII Fenergia - Feira e Fórum de Energia, que acontece no Centro de Convenções de Vitória nesta quarta (24) e quinta-feira (25).

De acordo com Luciano Resner, diretor geral de operações da Marcopolo, empresa responsável pela fabricação desses veículos, todo o sistema de mobilidade da Grande Vitória será traçado com a inclusão dos transportes elétricos. 

"Tivemos uma discussão com o Governador e os secretários de mobilidade e de inovação. O plano é traçar o que seria todo o sistema de mobilidade da Grande Vitória. O primeiro veículo elétrico já está na Fenergia. A partir do ano que vem, queremos colocar alguns para rodar para fazer uma operação assistida", explicou.

Ainda segundo o diretor da Marcopolo, os ônibus gastarão em média duas horas para carregar, tempo suficiente para conseguir rodar 250 km

"A recarga será feita nas garagens dos operadores ou estações que serão definidas pelo governo do Estado em parceria com a EDP. Os veículos terão alimentação o suficiente para rodar 250 km, o que se estima que seja o necessário para completar o dia de operações. Os ônibus poderão ser recarregados em duas horas", esclareceu.

Vai ficar mais caro?

De acordo com Luciano Resner, o custo para obter os transportes será mais alto, entretanto, o custo da operação será mais baixo, possibilitando que a tarifa cobrada para uso do ônibus não seja alterada. 

"A ideia é criar mecanismos que possibilitem a renovação da frota sem ônus para os passageiros, que tenham o benefício de utilizar um veículo mais moderno e sem ruído. O custo para aquisição do ônibus será mais alta, porém o custo de operação será mais baixo, porque não haverá necessidade da troca de filtro ou de partes que desgastam o motor que utiliza diesel", explicou.

Leia também: Goteira dentro de ônibus do Transcol faz passageiro abrir guarda-chuva