• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Biblioteca de Vitória tem programação especial em comemoração aos 76 anos

  • COMPARTILHE
Geral

Biblioteca de Vitória tem programação especial em comemoração aos 76 anos

Normalmente a Biblioteca Municipal Adelpho Poli Monjardim funciona das 12h às 19 horas

Atividades gratuitas, de doação e abertas ao público em geral. Assim será a comemoração dos 76 anos da Biblioteca Municipal Adelpho Poli Monjardim, em Vitória. Com quase oito décadas de história e de serviços prestados à população da Grande Vitória, o local é da maior importância para antigos e novos leitores que procuram diariamente por informações.

Nesta terça-feira (25), o dia festivo começa com a campanha “Esqueça um Livro e Compartilhe Conhecimento”. Com o objetivo de estimular a leitura e compartilhar conhecimento serão deixados livros, das 9 às 16 horas, em vários locais de Vitória, como pontos de ônibus, praças, restaurantes, parques, mercados, entre outros espaços, para que as pessoas peguem os livros e depois entrem em contato com os autores das obras para dizer o que acharam da leitura.

Os livros foram doações de autores, Lei Rubem Braga, entre outros. Entre os capixabas autores estão: Marcos Tavares, Eliana Zandonade, Marta Samor, Katia Bobbio, Maria das Graças De Luna Arruda, Ilvan Filho e Silvana Pinheiro.

“Essa é uma campanha nacional que espalha livros em vários pontos da cidade com o intuito de despertar o hábito pela leitura. Em Vitória, os servidores da Prefeitura e contadores de história já estão com os exemplares dos livros para serem deixados em locais estratégicos. Nossos autores deixaram dedicatória para quem encontrar os livros, se quiser, entrar em contato com o escritor”, aponta a coordenadora da Biblioteca, Elizete Caser.

Já às 19 horas, será realizada, na Biblioteca, uma conversa com o escritor e historiador Fernando Achiamé sobre o romancista delpho Poli Monjardim, que dá nome ao lugar.

Em seguida, a partir das 19h30 haverá o lançamento do livro "No escuro, armados", que contém contos de Marcos Tavares, com declamação de alguns de seus poemas. E para finalizar a programação do dia o Quarteto de Cordas, da Escola de Teatro, Dança e Música Fafi, fará uma apresentação.

Serviço

76 Anos da Biblioteca Municipal Adelpho Poli Monjardim
Quando? 25 de julho de 2017
Onde? Rua Muniz Freire, 23, Cidade Alta, no Centro Histórico de Vitória
Horário? A partir das 9 horas

Sobre os autores

Marcos Tavares

Nascido em 16 de janeiro de 1957, na Vila Rubim (Vitória - ES), nela viveu por toda a infância. Filho primogênito, na numerosa prole de Maria Luísa Silva Tavares (doméstica do lar) e José Tavares (ferreiro, serralheiro, garimpeiro), embora parcos os recursos materiais, sua afeição pelos estudos fá-lo aprender, com o pai e as irmãs (Martha e Elizabeth), a ler já aos quatro anos e a escrever aos cinco anos de idade. Da mãe e da avó assimilou as fábulas e as histórias que ambas narravam. Do pai (militante de esquerda, sindicalista), herdou o gosto pela escrita e a insatisfação com a realidade. Desportista, praticou futebol, luta livre e, até os dias atuais, corrida pedestre.

Trajetória literária iniciou em 1975, publicando poemas em suplemento (Tribuna Jovem) do jornal A Tribuna. Seguiram-se trabalhos publicados no jornal A Gazeta e na Revista de Cultura da Ufes (num encarte, com conto premiado, em 1980), bem como na coletânea Ofício da palavra (org. pela Profª. Deny Gomes, da Ufes), resultante de uma oficina literária. Sua obra mais amadurecida consta, sobretudo, na revista Letra, editada por grupo literário, homônimo, do qual, com destacados intelectuais, fez parte.

Fernando Achiamé

Fernando Antônio de Moraes Achiamé nasceu em Colatina, interior do Espírito Santo, em 1950. Arquivista, historiador, pesquisador-associado do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Literatura do Espírito Santo – NEPLES/UFES e membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo.

Dirigiu o Arquivo Público Estadual de 1975 a 1983. Entre 1982 e 1987 foi membro do Conselho Estadual de Cultura. Professor, atuou na cadeira de História da Arquitetura na UFES de 1982 a 1997.

É pós-graduado em Arquivologia e mestre em História Social das Relações Políticas, pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Editou diversas obras sobre História do Espírito Santo, publicou artigos e poesias esparsas em periódicos de Vitória. Autor do Guia preliminar do Arquivo Publico Estadual, Catálogo dos bens culturais tombados no Estado do Espírito Santo (em co-autoria) e dos livros de poemas A obra incerta e Livro novíssimo. O livro Memórias do passado, do padre Francisco Antunes de Siqueira, uma coletânea de crônicas sobre costumes do Espírito Santo em tempos passados, contou com edição de texto, estudo e notas de Fernando Achiamé.

A obra incerta (poesia, 2000)
Livro novíssimo (poesia, 2011)