• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Prédio no Centro de Vitória é ocupado por 40 famílias

  • COMPARTILHE
Geral

Prédio no Centro de Vitória é ocupado por 40 famílias

Elas são as mesmas que ocupavam o prédio do antigo IAPI e que desocuparam o imóvel no último fim de semana

Cerca de 40 famílias ocuparam um prédio abandonado, no Centro de Vitória, na manhã desta terça-feira (25). Essas famílias são as mesmas que ocupavam o prédio do antigo Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários (IAPI) e que desocuparam o imóvel no último fim de semana.

O prédio, localizado na Rua Gonçalves Ledo, é particular e está abandonado há mais de cinco anos. Ele começou a ser ocupado na tarde de segunda-feira (24) e, na manhã desta terça, todas as 40 famílias já estavam no local, ocupando quase todos os apartamentos do imóvel, de três andares.

De acordo com o coordenador nacional do Movimento por Moradia, Tiago de Almeida, outros imóveis serão ocupados, caso seja necessário. "O defensor público e a polícia tentaram entrar em contato com a prefeitura, no dia da desocupação do prédio, no domingo, e não obtiveram sucesso. A prefeitura e o governo vêm se omitindo todas as vezes e essas famílias precisam de um lugar para ficar e morar. Enquanto tiver prédio abandonado no Centro de Vitória, nós vamos ocupar até a prefeitura e o Governo do Estado se manifestarem a favor dessas famílias. A gente quer que eles cumpram o papel deles", afirmou.

O movimento de ocupação começou em abril, quando cerca de 600 famílias invadiram um terreno, na região da Grande São Pedro, em Vitória. Depois que a Justiça determinou que as pessoas saíssem do local, um grupo mais reduzido se instalou no prédio do antigo IAPI.

Por meio de nota, a Prefeitura de Vitória informou que está conversando com as lideranças comunitárias e também com as famílias que estão no local. A prefeitura ressaltou ainda que, desde o início do movimento, ainda em abril, já organizou plantões para fazer o cadastro das famílias, como foi acordado com os representantes do movimento. De acordo com a prefeitura, quem ainda não realizou o cadastro pode procurar qualquer um dos centros de referência de assistência social do município.