• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Quer conhecer o Pico da Bandeira? Saiba os cuidados necessários para esta aventura

  • COMPARTILHE
Geral

Quer conhecer o Pico da Bandeira? Saiba os cuidados necessários para esta aventura

Quem deseja se aventurar no terceiro ponto mais alto do país precisa estar preparado para enfrentar as temperaturas negativas

O Pico da Bandeira é o ponto mais alto Espírito Santo e de Minas Gerais, e o terceiro mais alto do país. Nesta época do ano, o frio faz do local um dos destinos mais procurados pelos amantes de aventura. No entanto, de acordo com o coronel do Corpo de Bombeiros, Carlos Wagner Borges, a subida ao local não é aconselhada no período de inverno.

“A nossa população do Espírito Santo está acostumada com o calor. O organismo está acostumado com o calor. Tanto que, quanto temos uma temperatura de 18ºC ou 20ºC já vestimos agasalhos. Ele não está preparado para uma temperatura de 3ºC ou temperaturas negativas, e logo o corpo entra em hipotermia. O mesmo não aconteceria com quem mora em Santa Catarina, por exemplo. O frio pode levar a pessoa não só ao quadro de hipotermia, mas também a uma parada cardíaca”, comenta Borges.

Segundo ele, o indicado antes de subir o Pico da Bandeira é verificar as condições da temperatura. “Dependendo da temperatura, não é aconselhado subir, a não ser que a pessoa tenha as roupas próprias para a prática, mas deve ser acompanhado de um guia, nunca sozinho”, continua.

No último final de semana, um professor desapareceu durante a subida com um grupo. Para evitar que esse tipo de incidente aconteça, é recomendado a visitação acompanhada por um guia que tenha profundo conhecimento da área.

Além da baixa temperatura, um segundo risco é o de queda, já que o local registra geadas nessa época do ano e fica escorregadio. “O conselho é subir na primeira ou verão. No inverno é complico. No cume pode haver uma diferenciação de temperatura muito rápida e dificultar a descida. Por isso, estar com um guia é importante”, completa o tenente coronel.

De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que administra os Parque Nacional do Caparaó, a média de visitação anual no local é de 50 mil turistas, sendo cerca de 20 mil somente no período de junho até setembro, quando o clima está mais frio e seco.

O parque é aberto durante todo o ano. Para as visitações durante o dia, das 7 às 18 horas, não é necessário agendamento prévio, mas quem deseja acampar no local ou fazer a subida até o Pico da Bandeira sozinho ou em grupo precisa solicitar e confirmar a reserva, podendo esta ser feita no site do parque, onde também estão as dicas com os cuidados e recomendações ao visitante.

O ICMBio ainda alerta aos visitantes para o grau de dificuldade da trilha. Por ter um terreno muito acidentado, ela pode ser considerada semi-pesada, tendo em vista os grandes desníveis e o tempo de subida. Além disso, o clima na montanha é muito instável e pode mudar rapidamente, criando condições que exigem sempre muita atenção e prevenção. O uso de roupas especiais e lanternas é indispensável.

Neste período de inverno, as temperaturas mais baixas demandam mais preparação para as caminhadas. O principal risco é o de hipotermia. As condições do terreno também aumentam o risco de queda e torções. No verão, as subidas ao pico são feitas, geralmente, durante o dia, pois é uma época mais propícia a chuva. No período de mais calor, as cachoeiras são os atrativos mais buscados. O risco maior, no entanto, é o afogamento e cabeças d'água.