• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Você tem intestino preso? Folha Vitória realiza tira-dúvidas sobre o assunto

  • COMPARTILHE
Geral

Você tem intestino preso? Folha Vitória realiza tira-dúvidas sobre o assunto

A nutricionista Estela Reginatto esclarece dúvidas sobre a saúde intestinal

Você sabia que a constipação intestinal é quando se passa mais de um dia sem ir ao banheiro? Ficar mais de dois dias sem evacuar já é sinal de constipação intestinal. A não evacuação pelo menos uma vez a cada 24 horas podem ocasionar sintomas como: irritabilidade, mal-estar, dor de cabeça, sensação de tontura, cansaço, náuseas e até mesmo palpitação.

Segundo a nutricionista Estela Reginatto, o ideal é evacuar a cada 24 horas, dependendo do volume de alimentos consumidos, é normal também evacuar de duas a três vezes ao dia, como é o caso de homens ou atletas que precisam de um volume de comida maior. "A constipação intestinal pode levar a sérias doenças quando não cuidada a tempo", fala a nutricionista.

O intestino humano pode chegar a ter 12 metros de comprimento iniciando-se pela boca. E um ser humano chega a consumir durante a sua vida cerca de 30 toneladas de alimentos durante a vida.

Escala fecal

De acordo com Estela, as fezes precisam ter um aspecto ideal. "A tabela Fecal de Bristol foi desenvolvida para que possamos buscar parâmetros e entender como está a saúde do nosso intestino. Esta tabela foi criada pelo Dr. Ken Healton na Universidade de Bristol. Existem 7 tipos de classificação de fezes, das quais tipo 3 e 4 são as melhores referências de um intestino saudável quando você evacuar diariamente.

Veja abaixo os tipos de fezes:

A classificação das fezes depende do tempo de permanência no cólon.

TIPO 1: Caroços duros e separados. Como se fossem nozes, muito difíceis de evacuar.
TIPO 2: Forma de salsicha, mais grosso e muito granuloso, um pouco seco.
TIPO 3: Forma de salsicha, com fissuras na sua superfície.
TIPO 4: Forma de salsicha, bem lisinha, molinha, suave e macia.
TIPO 5: Pedaços suaves, separados e bem mole, que saem facilmente.
TIPO 6: Pedaços mais moles e com bordas em pedaços.
TIPO 7: Fezes em forma de diarreia totalmente aquosa sem partes sólidas.

Os tipos 1 e 2 discorrem de pessoas com constipação mais severa e que precisa melhorar os hábitos de alimentação e prática de atividade física para regularização. Já os tipos 3 e 4 são ótimas referências de uma boa saúde intestinal, mas não basta ter as fezes ideais, é preciso ter a frequência diária, de uma a duas vezes ao dia.

Os tipos 5, 6 e 7 denotam urgência nas evacuações que podem demonstrar alguma alergia alimentar ou alguma intolerância, uso de medicações ou até um sinal de existência de alguma doença intestinal quando essa diarreia não tem mais controle, neste caso, busque a ajuda médica.

Um intestino saudável está com a sua microbiota repleta de bactérias boas, que são os chamados lactobacillos, eles são responsáveis por este equilíbrio e manter a saúde do nosso intestino. Esses lactobacillos estão presentes no nosso intestino naturalmente e se proliferam na presença de alimentos como: alho, cebola, alho poró, maçã, cacau em pó, biomassa de banana verde (receita logo abaixo), castanhas (Castanha de caju, castanha do Pará, nozes).

Mas essas bactérias do bem também podem ser destruídas quando consumimos em excesso alimentos inflamatórios como os refinados, que são os açúcares, refrigerantes, biscoitos, sucos açucarados e etc. Por isso atente-se ao que você consome no seu dia a dia.

O que fazer para melhorar a saúde do intestino?

⦁ BEBER ÁGUA: aumentar o volume de água vai ajudar a melhor o “trânsito intestinal”. Faça o cálculo: Multiplique 40 ml x o peso = o resultado é o volume de água que você deve consumir diariamente. Exemplo: 60 kg x 40 ml+ você precisa consumir 2,4 litros de água ao dia.

⦁ PRATICAR ATIVIDADE FÍSICA DIARIAMENTE: A atividade física, mesmo que uma caminhada, aumenta os movimentos peristálticos do seu intestino e consequentemente aumenta o seu trânsito intestinal e assim você vai conseguir evacuar com mais facilidade.

⦁ CONSUMIR ALIMENTOS MAIS RICOS EM FIBRAS E BOAS GORDURAS (NA QUANTIDADE CERTA): vegetais folhosos, castanhas, óleo de coco, semente de linhaça, semente de abóbora, coco seco, biomassa de banana verde vão te ajudar também a aumentar o volume fecal.