• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Espírito Santo participa da Feira Internacional de Pesca Esportiva em São Paulo

  • COMPARTILHE
Geral

Espírito Santo participa da Feira Internacional de Pesca Esportiva em São Paulo

A Feipesca, maior feira do segmento da América Latina, deve reunir aproximadamente 40 mil pessoas e 120 expositores

O período da pesca esportiva no Espírito Santo começa em breve, e os apaixonados pela modalidade já terão a oportunidade de conhecer as características únicas do litoral capixaba para a pesca oceânica. A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) participa, de quinta-feira (21) a domingo (24), da Feira Internacional de Pesca Esportiva (Feipesca), que acontece no Centro de Exposições São Paulo Expo, em São Paulo.

Quem visitar o espaço dedicado ao Espírito Santo poderá conhecer atrativos e oportunidades de pacotes para a prática da pesca oceânica no litoral capixaba. Em Vitória é possível chegar à aérea de pesca com apenas 1 hora de navegação, diferente de outros destinos em que esse tempo pode ultrapassar 5 horas de navegação.

No Espírito Santo é possível encontrar pacotes com valores que variam de R$1.017 a R$2.850 inclusos transporte de lancha, marinheiros, material completo de pesca, bebidas e lanches. O tempo em média de pesca é de 7 horas, partindo geralmente ao amanhecer. Confira mais informações sobre os pacotes: clique aqui.

A Feipesca, maior feira do segmento da América Latina, deve reunir aproximadamente 40 mil pessoas e 120 expositores. O objetivo é reunir pescadores iniciantes e mais experientes para adquirir conhecimentos e conferir as novidades do setor. Para participar é preciso adquirir ingresso nos valores de R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia) e R$ 5 (estudantes e professores).

Campeonatos de Pesca no Espírito Santo

A alta temporada 2017/2018 de pesca oceânica se aproxima. O pico mais alto para da prática da modalidade é entre novembro e março, período em que as correntes marinhas e a temperaturas contribuem para a prática da modalidade náutica.

É neste período que os campeonatos movimentam as águas do litoral capixaba. A primeira competição acontece 07 de outubro, com o Campeonato de Abertura, em etapa única, e a 2ª Etapa da Costa Brasil. Já no final de outubro e começo de novembro, pescadores competem na 1ª e 2ª Etapa do Torneiro Oceano na busca pela pesca de várias espécies.

A pesca do Marlim Azul, Marlim Branco e o Sailfish são os desafios dos pescadores nas etapas do Torneio de Bico, que acontece nos dias 02, 06 e 09 de dezembro. Saiba mais sobre os campeonatos de pesca esportiva no Espírito Santo: www.ices.com.br/pesca/calendario-pesca.

Símbolo capixaba

O Makaira Nigricans, popularmente conhecido como Marlim Azul ou Espardarte-Azul, é considerado, desde 2015, símbolo capixaba. A Lei N° 10.426 foi decretada pela Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) e sancionada pelo Governador Paulo Hartung. A lei institui ainda o Dia Estadual do Marlim Azul, comemorado em 28 de fevereiro.

A cidade de Vitória é considerada a capital mundial do Marlim e ostenta dois recordes internacionais de captura do Marlim. O primeiro feito aconteceu em 1979, quando foi capturado um Marlim Branco pesando 82,5 quilos e o segundo em 1992, quando pescadores capturaram um Marlim Azul de 636 quilos.

O Marlim

Com dorso azul-cobalto e bico pontiagudo, o Marlim destaca-se por sua velocidade e valentia. Por isso, tornou-se símbolo de tudo que o mar tem: desafio, beleza, mistério e aventura.

O Marlim pode atingir até 650 quilos e medir 4 metros de comprimento. E é encontrado principalmente durante o dia, pois a noite procura águas mais profundas para se alimentar.

Para fisgar o queridinho dos pescadores são necessários materiais sofisticados, como linhas de até 130 Ib, varas e caretinhas de 700 metros de linhas. As iscas preferidas são as fornagoios e sorocabas (naturais) e lulas (artificiais).

A pesca esportiva não é predatória, pois não retira o peixe do meio ambiente, e o objetivo é fisgar o animal, não para consumo ou comércio, mas pelo prazer de pescar. Após pesar, medir e fotografar, o pescador o devolve para a água.

Para o que o peixe não fique debilitado existem equipamentos e acessórios diferenciados para esse tipo de pesca. Anzóis, iscas, entre outros, são idealizados com o intuito de não ferir o peixe.

Serviço

FEIPESCA 2017
Data: quinta-feira (21) a domingo (24)
Local: São Paulo Expo - São Paulo - SP