• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Estado de policial civil baleado em ônibus na Serra é gravíssimo e família pede doações de sangue

  • COMPARTILHE
Geral

Estado de policial civil baleado em ônibus na Serra é gravíssimo e família pede doações de sangue

A família de Job Tadeu Dala Bernardina pede doações de sangue em nome do policial e também orações para que se recupere

É gravíssimo o estado de saúde do policial civil aposentado Job Tadeu Dala Bernardina, de 49 anos. Ele foi baleado após tentar impedir um assalto a ônibus na tarde desta quarta-feira (18), na Serra. A família de Job pede doações de sangue em nome do policial e também orações para que se recupere.

De acordo com familiares, Job trabalhou durante 30 anos na Polícia Civil, sendo 15 na Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp). O policial aposentado é católico e casado há 25 anos. A família ressalta que Job só reagiu porque percebeu que um passageiro corria risco após ser confundido com policial militar. Qualquer tipo de sangue pode ser doado em nome do policial.

As doações para abastecer os bancos de sangue do Hemocentro do Estado do Espírito Santo (Hemoes) podem ser feitas na unidade localizada na Avenida Marechal Campos, 1.468, Maruípe, em Vitória. O Hemoes funciona de segunda-feira a sexta das 07 às 19h, e sábado, das 7h às 19h. O telefones são 3636-7900/7920/7921.

O crime

O coletivo passava pela rodovia ES 010 na altura do bairro Camará quando dois indivíduos entraram e anunciaram o assalto.

De acordo com a polícia, os assaltantes, identificados como Cassilandro Oliveira Santos, de 22 anos e Alan da Silva Diolino, de 18, também foram baleados. Segundo a polícia, Cassilandro foi quem efetuou disparos contra o policial civil.

Segundo a polícia, os indivíduos pularam a roleta do ônibus e anunciaram o assalto. Durante o ato, eles cismaram com o porte físico de um passageiro acreditando que poderia ser um policial. Job, que estava no final do coletivo, levantou e deu voz de prisão aos assaltantes. Porém, um dos suspeitos atirou. O policial civil teve seis perfurações pelo corpo.

Cassilandro e Alan fugiram em direção a um beco onde buscaram ajuda na casa de um amigo que os socorreu para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Carapina. Na UPA, os policiais encontraram os suspeitos.

Neste momento os suspeitos do crime estão sendo transferidos para o Jayme dos Santos Neves. O quadro de saúde do policial civil baleado é estável.