• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Por causa da chuva, escolas de Cariacica ficam alagadas e aulas são suspensas

  • COMPARTILHE
Geral

Por causa da chuva, escolas de Cariacica ficam alagadas e aulas são suspensas

Unidades de ensino em Porto de Santana e no bairro São Francisco foram afetadas e os estudantes do turno da manhã foram liberados

Pátio de escola em Porto de Santana ficou completamente alagado

Por causa da chuva que atingiu a Grande Vitória nesta quarta-feira (29), algumas escolas da região precisaram suspender as aulas. Em Cariacica, pelo menos duas escolas ficaram alagadas e tiveram as atividades interrompidas durante a manhã.

Uma das unidades de ensino afetadas foi a Escola Municipal João Pedro da Silva, em Porto de Santana. Todos os alunos que estudam no período da manhã foram dispensados.

A dona de casa Elizângela de Souza Pampoli conta que, menos de duas horas depois de deixar as filhas na escola, teve de voltar para buscá-las. "Quando foi 8h40 me ligaram para vir buscar elas, porque a água já estava quase entrando na sala de aula. Aí eu cheguei aqui e estava mesmo totamente alagado", contou.

A própria dona de casa fez questão de registrar, com o celular, a situação da escola. O pátio amanheceu completamente alagado, depois da chuva da noite passada. E, segundo Elizângela, não era só água de chuva.

"Água de esgoto, maior fedor que está. No outro dia, as serventes da escola tem que lavar tudo com mangueira. E em um dia não dá para lavar não. São dois ou três dias para deixar tudo limpo. E é perigoso as crianças pegarem uma doença, leptospirose", frisou a dona de casa.

Durante a tarde, a água já tinha escoado e as aulas foram mantidas na escola. No entanto, estudantes disseram que problemas com alagamentos no local se repetem há anos e que já teve ocasião em que as aulas do período da tarde também foram prejudicadas.

"Tem dois esgotos lá na escola. Quando chove muito mesmo, [a água do esgoto] sobe e aparece um monte de rato, barata. É horrível. Não tem condições", contou a estudante do 8º ano, Débora Borges Peixoto, de 13 anos.


Escola estadual

Baldes precisaram ser usados para tentar conter a água que caía do teto

Já na Escola Estadual Jesus Cristo Rei, no bairro São Francisco, a água infiltrou pelo telhado e começou a descer, como cascata, pelos bocais das lâmpadas. Pelos corredores e em algumas salas de aula, funcionários colocaram baldes para tentar conter a água, mas não adiantou: as aulas tiveram de ser suspensas.

"Estava metade da escola alagada. A água caindo pelo teto das salas, todo mundo querendo sair, só que eles não liberaram. Prenderam a gente três aulas lá, sem fazer nada na sala, e liberaram só depois do recreio", contou o estudante do 1º ano, Caio Rodrigues, de 16 anos.

Para algumas turmas, esta semana é de provas e as avaliações foram prejudicadas. "Adiaram a prova para amanhã e, se continuar chovendo, acho que não vai ter também", disse a aluna do 9º ano, Clarice Paubel, de 14 anos.