• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Professores capixabas comentam escolha do tema de redação do Enem 2017

  • COMPARTILHE
Geral

Professores capixabas comentam escolha do tema de redação do Enem 2017

Alunos e professores consideraram 'difícil' a proposta de escrever sobre 'Desafios para a Formação Educacional de Surdos no Brasil'

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, aplicado no último domingo (5), pegou muitos professores e candidatos de surpresa. A proposta de escrever sobre 'Desafios para a Formação Educacional de Surdos no Brasil", foi considerada 'difícil' e virou motivo de preocupação entre alguns alunos.

Para a estudante Ana Luíza Kruger, de 22 anos, o tema escolhido foi muito importante. Ela pretende prestar vestibular para Farmácia e contou que só conseguiu desenvolver bem o tema por já ter um pouco de conhecimento sobre o tema. "Eu me preparei para vários temas, inclusive para alguns relacionados a deficientes, mas não especificamente sobre surdos. Como eu já sabia um pouco, foi mais fácil. Mas para quem não se preparou, com certeza foi bem complicado", afirma.

O professor de redação e literatura, Werllen Vieira, classificou o tema como um 'estudo de caso' que seria voltado para profissionais da educação. Ainda de acordo com ele, a dificuldade que muitos alunos encontraram para desenvolver o tema, é ligada à falta de convivência com surdos e deficientes auditivos.

"Trabalhamos em sala de aula com a inclusão como um todo, não especificamente sobre isso. Apesar do texto de apoio, os alunos que nunca tiveram um convívio com essas pessoas ficaram perdidos no que falar. No Espírito Santo, por exemplo, são poucas escolas que tem essa vivência, então realmente foi um pouco complicado", afirma.

Já para a professora de redação e língua portuguesa, Mônica Valle, o tema não foge muito da realidade dos alunos. Apesar de ter apostado em assuntos relacionados ao meio ambiente e bullying, ela já havia falado sobre o tema em sala de aula.

"Esse tema abrange a questão da inclusão social, que não é um tema não longe da realidade dos alunos. É um tema muito pertinente e presente do nosso dia-a-dia e abrange a questão da sociedade como um todo. Eu estava apostando em um tema mais voltado para a questão do Meio Ambiente ou relacionado ao bullying dentro das escolas, mas também já havíamos falado sobre inclusão", conta.

Uma outra preocupação de quem fez a prova é a utilização de alguns termos, já que deficiência auditiva não é o mesmo que surdez. Segundo a professora, dependendo do contexto, o termo pode ser aceito na hora da correção.

"Analisando de forma superficial, é possível que seja aceito essa questão do deficiente auditivo. Mas se a gente for observar na raiz mesmo, pode ser que tenha um problema na hora da correção, mas isso vai muito de como será analisado no contexto do texto do aluno. Eu acredito que alguns professores vão considerar e que outros também podem não considerar", afirma.

Ausentes

No Espírito Santo, mais de 40 mil candidatos não compareceram no primeiro dia de aplicação do Exame. Segundo o Inep, dos 137.399 inscritos, 40.533 não compareceram aos locais de prova, o que equivale a 29,50% do total. Ainda de acordo com o Instituo, os participantes que têm direito à isenção do pagamento da taxa de inscrição do Enem 2017, que não compareceram para a realização das provas nos dois dias de aplicação e não justificarem essa ausência do sistema de inscrição do Enem 2018, com apresentação de documento legal que justifique ausência, não terão direito a nova isenção