• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Grupo de empresas capixabas não é mais sócio da ECO 101

  • COMPARTILHE
Geral

Grupo de empresas capixabas não é mais sócio da ECO 101

Uma companhia de Porto Alegre também deixou a sociedade da concessionária

O grupo de empresas capixabas Centaurus Participações S/A deixou de fazer parte do quadro de sócios da ECO 101, concessionária que administra a BR 101 no Espírito Santo. Além dele, a Grant Concessões e Participações Ltda, que é de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, também saiu da sociedade. O anúncio foi confirmando por meio de uma nota oficial encaminhada nesta quinta-feira (28) pela assessoria da ECO 101.

A Centauro Participações, formada pelos grupos empresariais Coimex Empreendimentos e Participações Ltda, Rio Novo Locações (Grupo Águia Branca), A. Madeira Indústria e Comércio Ltda, Urbesa Administração e Participações Ltda, Tervap Pitanga Mineração e Pavimentação Ltda, Contek Engenharia e MMF Empreendimentos e Participações, tinha 27,50% das ações. Já a Grant Concessões e Participações Ltda tinha 14,5%. A maior acionista é a EcoRodovias Concessões e Serviços S.A. (ECS), com 58% das ações.

>> Empresas capixabas em grupo de acionistas da Eco 101 controlam também a Rodosol

Por meio de nota, a ECO 101 informou que foram celebrados contratos de compra e venda de ações que determinam a aquisição, pela ECS, de 42% do capital social da concessionária, até esta data detidos pelos ex-sócios no negócio. Além disso, a ECS pagará por essa participação mais de R$ 46 milhões.

Segundo a nota, a conclusão desta operação segue algumas etapas, que incluem a comunicação prévia à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e aprovação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

A ECO 101 informou ainda que "o Grupo EcoRodovias entende a saída dos ex-sócios da ECO101 como um movimento natural de mercado. Projetos com mais sinergias com os negócios da Centaurus e da Grant levaram as empresas a optarem pela saída. A participação destes sócios foi importante para a estruturação da concessionária que administra a BR-101 no Espírito Santo".