• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Impasse entre empresas e sindicato dos rodoviários continua e greve ainda pode acontecer

  • COMPARTILHE
Geral

Impasse entre empresas e sindicato dos rodoviários continua e greve ainda pode acontecer

O Sindicato dos Rodoviários vai entrar com um recurso no início da tarde desta terça-feira (19) para cassar a decisão da Justiça de manter 100% da frota em operação

O impasse entre as empresas responsáveis pelos coletivos da Grande Vitória e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários) continua. Diferente dos 2% de reajuste salarial que foi sugerido pelo Tribunal Regional do Trabalho do Espírito Santo (TRT-ES), durante uma reunião de mediação, a GVBus informou que foi proposto um reajuste de 1,83%. Já a categoria pediu 5%.

“Nós já havíamos recebido a proposta do TRT de reajuste de 2% e não foi aprovado em assembleia. O que dirá 1,8%? Só estamos esperando mesmo o horário para dar entrada no recurso e assim que sair uma decisão favorável, vamos dar início a greve”, informou o presidente do Sindirodoviários, Edson Bastos.

Segundo ele, às 12 horas desta terça-feira (19), horário em que a Justiça inicia o expediente, o sindicato entrará com um recurso para que a greve possa acontecer. Isso porque o desembargador-presidente do Tribunal Regional do Trabalho no Espírito Santo, Mário Ribeiro Cantarino Neto, determinou na decisão que desta terça até a próxima, dia 26, 100% da frota dos ônibus precisa circular.

Na decisão, o desembargador proibiu o Sindirodoviários de fechar vias públicas destinadas ao trânsito dos ônibus e da população em geral. Além disso, não foi permitido piquetes junto às sedes das empresas e em vias públicas para impedir funcionários de chegarem às garagens dos ônibus.

Em caso de descumprimento da decisão, o Sindirodoviários poderia ser multado em R$ 200 mil. “Isso é inconstitucional e fere o direito do trabalhador de fazer greve. Acredito que vamos reverter isso”, disse Bastos.