• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Rodoviários decidem entrar em greve a partir desta terça-feira

  • COMPARTILHE
Geral

Rodoviários decidem entrar em greve a partir desta terça-feira

Durante a segunda reunião do dia, realizada na tarde desta segunda-feira, os trabalhadores resolveram manter a decisão sobre a paralisação

Rodoviários revolveram paralisar suas atividades a partir desta terça-feira

Os rodoviários do Espírito Santo decidiram, por unanimidade, entrar em greve a partir da 0 hora desta terça-feira (19). A decisão, que havia sido tomada durante uma reunião na manhã desta segunda-feira (18), foi confirmada durante uma segunda assembleia, realizada na parte da tarde, em Santo Antônio, Vitória.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários), Edson Bastos, foi decidido que apenas 30% da frota circulará durante esta terça-feira, o que prevê a lei da greve.

"A greve é por tempo indeterminado. Podemos entrar no Natal de greve. Se não tiver um reajuste, se o tribunal não puder julgar nesse momento, nós só voltamos às atividades normais depois do julgamento", afirmou Bastos.

Embora o Sindirodoviários já tenha anunciado a decisão de realização da greve, o Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus) informou que será realizada uma nova reunião de mediação entre as empresas de transporte e os rodoviários, marcada para as 19h30 desta segunda-feira, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES). A reunião será mediada pela desembargadora Ana Paula Tauceda Branco. Caso as partes cheguem a um acordo, não haverá paralisação dos rodoviários.

Segundo o GVBus, essa será a última tentativa de conciliação para evitar a greve. Após a reunião, um representante do GVBus se pronunciará sobre o assunto.

Reajuste

O motivo da paralisação é o reajuste salarial da categoria. Os trabalhadores reivindicam 5% de reajuste salarial. No entanto, o TRT-ES sugeriu um reajuste de 2%, o que não foi aceito pelos rodoviários.

"[Os trabalhadores] Não aceitaram os 2% de reajuste, acharam pouco. Eles almejam um reajuste realmente com ganho real e estão mal mal repondo a inflação. Nós estamos pedindo a inflação de 5% de ganho real, aumento nos tíquetes, plano de saúde integral. A pauta é bem extensa, tem 42 itens", destacou Edson Bastos. 

Segundo o presidente do Sindirodoviários, diante do impasse em relação à questão salarial, a greve foi a única solução encontrada pelos trabalhadores para tentar fazer valer seus direitos.

"Não é questão de parar por querer. É necessidade. Nós trabalhamos o ano todo esperando por esse momento. O trabalhador sai de madrugada e volta de madrugada para casa e, quando chega o mês de novembro, ele sonha com o reajuste do seu salário. Então o que ele está buscando é dentro da realidade. Ele quer o reajuste. Então onde esse trabalhador pôde bater na porta, ele bateu. O rodoviário hoje é uma categoria consciente. Então ele fez de tudo para não ir para a greve, mas não resta outra solução a não ser você buscar a greve. Não teve consenso entre a classe patronal e a profissional. A única saída que a gente tem é a greve, infelizmente", afirmou Bastos.

Um edital avisando a população sobre a greve foi divulgado na última sexta-feira (15). No mesmo dia, uma reunião foi realizada no TRT-ES, em Vitória. No entanto, não houve acordo entre rodoviários e GVBus. A partir daí, o TRT-ES propôs o reajuste de 2% aos trabalhadores, o que também foi negado.

Apelo

Preocupado com a possibilidade de rodoviários entrarem em greve nesta terça-feira (19), o governador Paulo Hartung (PMDB) divulgou um apelo solicitando que esses profissionais não realizem paralisação.