• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Homem que confessou matar ex-companheira já tinha processos por agredir outras mulheres

Polícia

Homem que confessou matar ex-companheira já tinha processos por agredir outras mulheres

De acordo com informações da Polícia Civil de Guarapari, o suspeito já tem três passagens na Justiça, por agressões contra outras mulheres

Foto: Reprodução/Facebook

Josimar Santos Garcia, suspeito que confessou ter matado a ex-companheira, Shirley Simões Rozeira, de 29 anos, já tinha três passagens por violência doméstica em Guarapari. De acordo com informações da Polícia Civil, Josimar já tem três passagens na Justiça por agressões contra outras mulheres.

"A delegacia da mulher de Guarapari informou que ele já tem três passagens por violência doméstica, contra três outras mulheres", disse o delegado, Franco Malini. 

No caso de Shirley, uma agressão foi registrada no início de janeiro, cerca de uma semana antes do feminicídio. "Uma semana antes do fato, ele também teve uma briga com a Shirley. Eles entraram em luta corporal, ele destruiu objetos em um salão onde ela estava fazendo a unha e a Shirley, posteriormente, chegou a pedir medida protetiva contra ele", completou o delegado.

Segundo familiares de Shirley, a ferramenta não impediu que o suspeito cometesse o crime. A vítima estava no relacionamento com o suspeito há cerca de dois anos. No ano passado, Shirley chegou a romper com o companheiro, mas após muita insistência por parte dele, eles reataram o relacionamento. Há cerca de quinze dias, pouco antes da virada de ano, a vitima decidiu terminar novamente o relacionamento, mas, segundo a família, ele começou a persegui-la.

Josimar foi preso na última sexta-feira (10), um dia após o crime, em um ônibus que seguia de Piúma para Vitória. Para a polícia, ele confessou o crime no ato da prisão. O delegado afirmou que ele foi autuado por feminicídio triplamente qualificado, por perigo comum e emboscada. Ele permanece preso.