Criminosos aplicam golpe usando FGTS e causam prejuízo de R$ 16 mil

Polícia

Criminosos aplicam golpe usando FGTS e causam prejuízo de R$ 16 mil

De acordo com o delegado Douglas Vieira, os criminosos podem ter ligação com o tráfico de drogas

Foto: Reprodução TV Vitória

Uma supervisora de vendas foi mais uma vítima de golpes de criminosos no Espírito Santo. Desta vez, o alvo dos suspeitos foi o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço dela. Com os dados do FGTS, eles conseguiram fazer dois empréstimos que, no total, chegam a mais de R$ 16 mil. 

A comerciante, Janaína do Nascimento, contou que estava reunida com amigos quando baixou o aplicativo do FGTS e percebeu que dois empréstimos tinham sido feitos em seu nome. 

"Fizeram empréstimo FGTS no meu nome no valor de R$ 13,875 mil e um empréstimo pessoal no valor de R$ 2,4 mil no mesmo banco. Na mesma hora que eles fizeram, no dia 20, às 13h, eles transferiram para duas contas que eu nunca vi na minha vida", relatou a supervisora. 

Segundo ela, a desconfiança de que havia algo errado aconteceu alguns dias antes, ao descobrir que seu chip havia sido clonado. 

"Fui na Claro, a operadora estava fora do ar no domingo (26), conforme tenho os protocolos também. Aí no dia 27, voltei na Claro. Fora do ar, de novo. E, no dia 28, quando eu voltei lá, eles me informaram que meu chip estava clonado, que tinha outra pessoa recebendo minhas ligações e minhas mensagens, por isso que eu não recebia nada do banco", contou Janaína. 

A Polícia Civil informou que casos como o da supervisora estão se tornando cada vez mais comuns. De acordo com o delegado Douglas Vieira, os criminosos podem ter ligação com o tráfico de drogas. 

"A gente tem combatido muito a parte financeira deles. Então eles têm tido vários prejuízos, com apreensão de bens e bloqueios de contas. Eles tentam de todas as formas recuperar esse capital para fazer a compra da droga e continuar com esses ilícitos praticados. E uma das formas que eles tentam é roubo, é furto, e agora, inclusive, no estelionato" declarou o delegado.

A supervisora, além de estar inconformada com a situação, não acredita que vai conseguir reaver o prejuízo. "Tô vendo até agora que eu não vou conseguir resolver. Eu já tentei várias vezes e não consigo realmente", finalizou. 

Por meio de nota, o banco PAN, que foi a instituição usada pelos golpistas, informou que já tem uma decisão definitiva, em favor da cliente, para o problema. A operadora Claro afirmou que investe em políticas e procedimentos de segurança para proteger seus clientes. A Caixa não se manifestou até o momento. 

*Com informações do repórter da TV Vitória Edson Soledade