• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Defesa de suspeito de matar namorada afirma que vai recorrer de prisão temporária

  • COMPARTILHE
Polícia

Defesa de suspeito de matar namorada afirma que vai recorrer de prisão temporária

Rubens de Almeida Dias Junior, de 22 anos, era procurado deste o último dia 04, pela morte de Andrielly dos Santos Mendonça, de 20 anos

O suspeito de matar a namorada com um fio de carregador de celular se apresentou, na tarde desta sexta-feira (09), na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória, por volta das 13h20. O Advogado do suspeito, Carlos Henrique Correa, afirmou que vai recorrer da decisão da prisão temporária.

Rubens de Almeida Dias Junior, de 22 anos, era procurado deste o último dia 04, pela morte de Andrielly dos Santos Mendonça, de 20 anos. O crime aconteceu na frente da filha da vítima, de três anos. Segundo vizinhos, o casal era problemático e brigava constantemente. Depois do crime, o suspeito pegou a menina, colocou no carro e fugiu.

Apresentação

Rubens de Almeida chegou ao local acompanhado pelo advogado Carlos Henrique Correa. Na última quinta-feira (8), em entrevista a TV Vitória, Correa disse que Rubens se entregaria à policia em breve.

Durante a apresentação, o suspeito estava sem barba, bem diferente das fotos divulgadas pelo polícia. Após se entregar, ele foi encaminhado para a Divisão de Homicídios e Proteção a Mulher.

Após saber que Rubens havia se entregado à polícia, Odina Mutz, madrasta de Andrielly, foi até o local e protestou contra a forma que a apresentação ocorreu. Segundo testemunhas, o suspeito, mesmo com mandado de prisão em aberto, ficou mais de 20 minutos em frente a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e ainda comeu uma marmita. 

Prisão

Rubens de Almeida Dias Junior é apontado pela Polícia Civil como o principal suspeito de estrangular e assassinar a jovem Andrielly dos Santos Mendonça, de 20 anos, no último dia 04, no bairro Planalto, em Vila Velha. 

A certidão de óbito da jovem aponta asfixia mecânica. Após a apresentação, Rubens foi ouvido pelo delegado Janderson Lube, que está à frente do caso.