• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Estado de saúde de sargento baleado em Vila Velha ainda é grave

  • COMPARTILHE
Polícia

Estado de saúde de sargento baleado em Vila Velha ainda é grave

O sargento reformado foi atingido com uma bala na região torácica

O filho do sargento reformado Lucimar Schultz, baleado após uma tentativa de assalto no bairro Soteco, em Vila Velha, foi ao Hemocentro pedir doações de sangue para o pai. Só na última quarta-feira (21), o movimento no Hemoes dobrou.

Um dia após o pai ser baleado em uma tentativa de assalto, para o filho, vai ficar a imagem que ele nunca vai esquecer. "Uma situação que eu nunca imaginei que ia passar e não desejo para ninguém. Seu pai baleado, ferido, do seu lado, pedindo ajuda, pois ele ia morrer, e você ter a frieza de saber para onde levar", contou Felipe Jacob Schultz.

>> 'Infelizmente são casos graves', diz comandante da PM sobre militares baleados na Grande Vitória

Felipe foi com os dois irmãos para o hemocentro de Vitória, na manhã desta quinta-feira (22), com uma missão: pedir doações de sangue para o pai. "O médico informou que ele precisa de sangue, pois ele usou muitas bolsas de sangue na cirurgia. A doação é de muita importância, não é só porque é o meu pais e o soldado Mello que estão precisando de doação, mas eu vi o quão é importante", disse o filho da vítima. 

O sargento reformado Lucimar Schultz, de 53 anos, foi atingido com uma bala na região torácica, após reagir a uma tentativa de assalto. Dois criminosos teriam abordado o sargento. Lucimar foi levado para o Hospital São Lucas, em Vitória, onde foi submetido a uma cirurgia. Os médicos precisaram retirar um rim do sargento.

"É bem crítica a situação dele, por causa da hemorragia, ele perdeu um rim, teve o fígado afetado e os médicos informaram que quando acabou a cirurgia ele estava estável, porém a situação dele é bem grave", afirmou Felipe.

Os casos do sargento Lucimar e do soldado Afonso fizeram com que o número de doadores do hemocentro de Vitória dobrasse. Normalmente, o Hemoes recebe cerca de 90 doadores por dia. Só ontem,foram mais de 180.

"A gente percebe a solidariedade da população capixaba. No ano passado, quando aconteceu o acidente em Guarapari foi a mesma comoção. Esse ano também. Ontem nós tivemos um aumento de doadores e hoje estamos caminhando para isso. A gente pede que a população capixaba não venha só nesses momento de comoção, de acidentes, mas que venha sempre ao Hemocentro. A pessoa que vem doar hoje, que volte daqui três meses, pois o sangue tem um prazo. Depois de 35 dias ele vence", explicou o diretor geral do Hemoes, Marcos Vinícius Souza Coelho.

Após a cirurgia, os médicos agora devem aguardar um período de 24 horas, para avaliarem como será a recuperação do sargento e se ele vai precisar ser submetido a outra cirurgia. "As primeiras 48 horas pós cirúrgico vão ser bem importantes para saber como o organismo dele vai reagir, eles vão diminuir a sedagem para ele voltar aos poucos", contou o filho do sargento.