• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'Infelizmente são casos graves', diz comandante da PM sobre militares baleados na Grande Vitória

  • COMPARTILHE
Polícia

'Infelizmente são casos graves', diz comandante da PM sobre militares baleados na Grande Vitória

Dois policiais foram baleados em menos de 24 horas. Os militares continuam internados

Os dois policiais estão internados no Hospital São Lucas, em Vitória

O coronel Alexandre Ramalho, que é comandante do policiamento Ostensivo Metropolitano (CPOM) da Grande Vitória, conversou com a equipe do programa ES no Ar, da TV Vitória/ Record TV na manhã desta quinta-feira (22) sobre os dois casos dos policiais baleados. 

Ramalho falou sobre o estado de saúde dos policiais em menos de 24 horas na Grande Vitória. "Infelizmente são quadros graves. O nosso sargento Schultz está em observação e o soldado Melo, infelizmente pelo local atingido, um pouco mais grave. Os boletins médicos saem à tarde. O momento é de oração e pedir a população que gosta e conhece o trabalho da Polícia Militar que continue orando e pedindo anjos para o Hospital São Lucas para proteger os nossos policiais militares".

O coronel Ramalho esteve no Hospital São Lucas na manhã desta quinta-feira (22)

Ramalho disse que no momento do crime, os militares eram cidadãos comuns. "É uma dor muito grande para a Polícia Militar, é uma consternação muito forte, mas sempre destacando que esses dois policiais, naquele momento, eram cidadãos comuns da nossa sociedade. Um indo para a sua caminhada matinal e o outro terminando sua aula na academia. São fatos que mostram que a questão da situação da segurança pública e da violência urbana precisam de um tratamento digno e responsável no nosso país para que nós minimizemos esses problemas. A discussão só vem à tona quando fatos como esses acontecem", disse.

Segundo informações do coronel Ramalho, a PM atente mais de 100 mil ocorrências. "A Polícia Militar (PM) atente 102 mil ocorrências pelo 190, e tem feito 22 mil operações. São 9.7 mil coletivos abordados, 9.5 mil motos, 9.6 mil carros de passeio, 3.2 mil táxis, 290 armas de fogo, 120 kg de maconha, mil veículos recuperados. A Polícia Militar tem dado a sua contribuição. Precisamos discutir no Brasil a questão de legislação, principalmente voltado para roubo, furto e porte ilegal de arma de fogo, que no Brasil efetivamente não dá em nada".

O coronel falou sobre a segurança no Estado. "Esses fatos acontecem em diversos horários. A Polícia Militar não consegue ser uni presente, o que falta é freá-los. É eles terem a sensação da punição e se intimidar com o mundo do crime." 

Estado de saúde dos militares baleados

O sargento Lucimar Schultz, de 53 anos, baleado no bairro Soteco, em Vila Velha, na manhã de quarta-feira (21), perdeu um rim por causa do ferimento. O militar segue internado no Hospital São Lucas, em Vitória, onde segundo a família segue internado com o quadro clínico estável. 

Na terça-feira (20), o policial militar Afonso Miller Costa de Melo, de 25 anos, foi baleado na cabeça quando saía do treino em uma academia de jiu-jitsu, em São Torquato, em Vila Velha. Após o crime, cinco suspeitos foram presos.

O militar estava acompanhado por outro PM, que não se feriu. A informação é de que os dois saiam da academia e, quando chegavam perto da moto que pegariam para ir embora, dois homens passaram a pé e um deles atirou na cabeça do policial.

Caso Afonso Miller: assista a matéria completa

Assista também

--> PM baleado precisa de doação de sangue

--> Polícia prende suspeitos de terem baleado PM