• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Suspeito de matar namorada com fio de carregador de celular diz que crime foi em legítima defesa

  • COMPARTILHE
Polícia

Suspeito de matar namorada com fio de carregador de celular diz que crime foi em legítima defesa

O advogado do suspeito disse que ele deve se entregar nos próximos dias

O homem suspeito de assassinar a namorada usando um fio de carregador de celular disse ao advogado que agiu em legítima defesa. Andrielly dos Santos Mendonça, de 20 anos, foi encontrada morta dento da casa que eles viviam. Rubens de Almeida Dias Júnior, de 22 anos, é o principal suspeito. 

De acordo com a polícia, ele continua foragido desde o dia do crime e está sendo procurado. Ele havia dito ao advogado que se apresentaria na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Disse também que agiu em legítima defesa.

O advogado do suspeito, Carlos Henrique Correa, esteve na DHPP na última quarta-feria (7) junto com familiares de Rubens. Ele pegou informações sobre o processo e disse que está trabalhando para que o jovem se apresente a polícia nos próximos dias.

>> Casal tinha saído para comprar celular antes de jovem ser enforcada em Vila Velha
>> Carro de suspeito de matar namorada com fio de carregador é encontrado na casa de parente

"A intenção dele desde o início é se entregar, mas como começou a correr várias ameaças contra a família e contra ele, ele tem a sensação de que uma vez preso, também possa sofrer retalhação dentro do próprio presídio. Devido a isso, nós estamos avaliando melhor essa apresentação dele", informou o advogado.

Ainda de acordo com o advogado, o suspeito fugiu do apartamento com medo do mandado de prisão que possui por ter descumprido uma medida protetiva contra a ex-mulher. Em relação ao caso de Andrielly, ele não se considera foragido. 

A versão que Rubens deu ao advogado foi que os dois haviam bebido e discutido por conta de relacionamentos anteriores. Durante a briga, Andrielly teria pegado uma faca e ido para cima dele. Para se defender, Rubens teria segurando a mão dela e dado um mata leão.

"Ele alega em sua defesa de que nunca teve a intenção de praticar qualquer homicídio. Segundo ele, a vítima estava com uma faca na mão, então ele tirou essa faca da mão dela, deu um mata leão para imobilizar e nesse momento ela desmaiou, ele a deixou dentro de casa. A criança havia acabado de acordar e para não deixar ela desamparada, sozinha em uma casa com a mãe desmaiada, ele pegou essa criança e levou para a casa dos seus familiares. Depois ele só ficou sabendo da notícia da morte através dos jornais", relatou o advogado. 

A jovem foi encontrada morta dentro de casa, na madrugada do último domingo (4), no bairro Planalto, em Vila Velha. Ela teria sido enforcada com um fio de carregador de celular. O crime teria acontecido na frente da filha dela. Após enforcar a namorada, o suspeito fugiu levando a criança.

"Ele não poderia se expor naquele momento, porque em uma outra situação existia um mandado de prisão contra ele por ele ter descumprido uma medida protetiva. Com a chegada da polícia, automaticamente ele seria preso não pelo fato ocorrido naquele momento, mas por haver um mandado de prisão contra ele", disse o advogado.

No dia seguinte, familiares dele entregaram a menina aos parentes de Andrielly. Na manhã da última terça-feira (6) o carro de Rubens foi encontrado na casa de um familiar dele, em Rio Marinho, Cariacica. Dentro do veículo estavam pertences dele e da criança.

Após o crime o suspeito chegou a trocar mensagens com o sogro através de um aplicativo de celular se explicando. O caso segue investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM).