• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após ser preso, suspeito de aterrorizar moradores de Jardim da Penha chora e pede perdão ao pai

  • COMPARTILHE
Polícia

Após ser preso, suspeito de aterrorizar moradores de Jardim da Penha chora e pede perdão ao pai

João Vitor Almeida da Silva, de 20 anos, foi detido durante uma perseguição policial, na tarde de segunda-feira, após roubar uma moto no bairro

João Vitor chorou ao falar com a equipe da TV Vitória/Record TV e disse estar arrependido dos crimes

Preso pela Guarda Municipal de Vitória na última segunda-feira (23), João Vitor Almeida da Silva, de 20 anos, suspeito de cometer assaltos e aterrorizar moradores de Jardim da Penha, na capital, chorou diante das câmeras ao conversar com a equipe de reportagem da TV Vitória/Record TV.

Suspeito de cometer cinco roubos em 2018 em Jardim da Penha, João Vitor, morador de Itacibá, em Cariacica, afirmou estar arrependido e aproveitou para pedir desculpas ao pai.

"Pai, desculpa! Por favor, me desculpa! Eu sei que eu fui muito errado, o senhor falou comigo. Eu nunca mais vou fazer isso e quero pagar a minha pena agora. Vou ter que pagar de qualquer jeito. Eu sei que vou ficar muito tempo preso", afirmou.

Moto roubada pelo suspeito foi recuperada por agentes da Guarda Municipal e por policiais militares, na tarde da última segunda-feira

João Vitor foi detido durante uma perseguição policial, na tarde de segunda. Ele havia roubado uma moto na porta de uma loja de material de construção em Jardim da Penha e estava com o veículo quando foi capturado pela Guarda.

O suspeito foi encaminhado para o 8º Distrito Policial de Goiabeiras, onde foi autuado pelo titular da unidade, delegado Izaías Tadeu, por cinco roubos qualificados. Em seguida, ele foi levado para o presídio.

Com o suspeito foi encontrada uma arma, que ele afirma ser falsa. No entanto, essa informação ainda será averiguada pelo delegado. "Não uso arma não, aquilo é um simulacro. Quem dera se eu tivesse pelo menos uma arma, mas nem arma eu uso. Sou usuário de crack", alegou.

Roubos

De acordo com a Polícia Civil, pelo menos cinco vítimas afirmam que João Vitor é autor de crimes de roubo. Todas elas registraram boletins de ocorrência.

João Vitor confessou os assaltos, mas afirmou não ter agido com violência contra as vítimas

Interrogado pelo titular da delegacia de Goiabeiras, o jovem confessou os crimes, mas afirmou que cometia os roubos sem violência. Izaías Tadeu disse que essa informação será averiguada.

"Todas as vítimas são unânimes em afirmar que, durante a execução, ele sempre as aterrorizou e ameaçou, no intuito de subtrair seus objetos pessoais ou então de suas propriedades. Ele já foi autuado, está sendo indiciado agora na prática de cinco crimes majorados e vai ser pedida a sua prisão", frisou o delegado.

Segundo Tadeu, Jardim da Penha foi escolhido por João Vitor por ser um bairro populoso e por causa do poder aquisitivo das vítimas. Em um dos casos, uma mulher teria sido sequestrada pelo suspeito.

"Era a região preferida dele, em decorrência de ser uma região de uma extensão muito grande, um bairro populoso e com moradores com um poder aquisitivo médio para alto", afirmou.

O delegado também contou que o suspeito era viciado em crack desde os 17 anos. “Ele possui uma série de passagens pela Polícia de quando ainda era menor de idade. Em seu desfavor havia um mandado de busca e apreensão e outro pelos crimes de assalto e sequestro, cometidos quando ele ainda era menor”, contou Izaías Tadeu.