Polícia prende suspeito de chefiar tráfico em morro de Vitória e descobre laboratório de drogas

Polícia

Polícia prende suspeito de chefiar tráfico em morro de Vitória e descobre laboratório de drogas

Homem é suspeito de atirar em viatura descaracteriza da Polícia Civil

Foto: Reprodução

A Polícia Civil prendeu um dos homens que teria atirado contra uma viatura descaracterizada. O suspeito também é apontado como o chefe do tráfico de drogas no bairro São Benedito, em Vitória. O ataque contra a viatura aconteceu na última segunda-feira (05) e, durante a operação, policiais descobriram um laboratório de drogas.

De acordo com a PC, um dos autores do ataque contra a viatura descaracterizada seria o chefe do tráfico do bairro São Benedito, em Vitória. 

"O policial relatou que foi surpreendido por cerca de quatro ou cinco indivíduos fortemente armados e dando ordem de parada. Temendo pela vida, ele não parou e acelerou o carro. Com isso, esse indivíduo que foi preso efetuou diversos disparos com um kit rajada", explicou o chefe da Divisão Patrimonial, delegado Gabriel Monteiro.

Após o ataque e com base nas informações do setor de inteligência do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Patrimonial, a polícia montou um operação e chegou até a casa do suspeito.

"Chegando nessa residência, ele estava lá. Nós tiramos foto dele e encaminhamos para o policial que o reconheceu com 100% de certeza", apontou o delegado.

O suspeito detido foi autuado pelos crimes de associação ao tráfico, tentativa de homicídio qualificado e posse de munição. "O mandante preso, que efetuou o disparo foi preso e mais três já foram qualificados e identificados. Agora é só questão de tempo até prendermos esses criminosos e vamos intensificar as operações naquela região".

Laboratório de drogas

No momento em que a polícia realizava a prisão do suspeito, chegou a informação de que havia um laboratório de drogas no bairro Consolação, também na capital. Todo o material, segundo a polícia, seria vendido em festas clandestinas, conhecidas como baile do "Mandela".

"Trata-se de um material fortemente tóxico e que prejudica o pulmão, o fígado e os rins, causando um grande risco à saúde de consumidores que insistem em utilizar esse tipo de droga em bailes clandestinos", apontou o delegado Monteiro.

Foto: Reprodução TV Vitória

No laboratório a polícia apreendeu uma pistola e um equipamento que, quando acoplado à arma, confere ao dispositivo o poder de uma submetralhadora. Um adolescente de 17 anos também foi apreendido. 

Durante a ação, a Polícia Civil contou com o apoio de militares do 1º Batalhão. O tenente-coronel Marcelo Tavares afirma que houve confronto com os criminosos.

"Isso é uma maneira de tentarem impedir o nosso avanço. Eles disparam com um imenso volume de tiros e sem qualquer tipo de precisão", disse o coronel.

* Com informações do repórter Waslley Leite, da TV Vitória/RecordTV