• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Caso Milena Gottardi: nova audiência será realizada nesta sexta-feira (18)

  • COMPARTILHE
Polícia

Caso Milena Gottardi: nova audiência será realizada nesta sexta-feira (18)

Serão apresentadas as alegações da acusação e defesa para que o juiz decida se os acusados serão levados à júri popular.

Uma nova audiência de instrução do caso Milena Gottardi será realizada nesta sexta-feira (18), no município de Fundão. Na ocasião, será ouvida uma testemunha de defesa de Hermenegildo Palauro Filho, de 53 anos, apontado pela polícia como um dos intermediadores do assassinato da médica.

O advogado do réu, David Marlon, confirmou ao jornal online Folha Vitória o agendamento da audiência e explicou que será ouvida apenas uma testemunha de defesa, que trata-se de um conhecido de Hermenegildo.

"Vai ser só uma testemunha de defesa que vai depor, principalmente no que diz respeito à conduta do Hermenegildo. Não é nenhum familiar, nem amigo. É um conhecido dele e mais uma prova que a defesa precisa para confirmar a versão apresentada por ele desde a fase do inquérito policial", explicou.

Segundo o advogado da família da médica, Renan Sales, o Ministério Público do Espírito Santo (MPES) apresentou as alegações finais nesta semana. Agora, serão apresentadas as alegações da acusação e defesa dos réus para que o juiz decida se os seis acusados serão levados à júri popular.

"Essa testemunha não vai trazer nada de diferente do que já está provado. O Ministério Público já apresentou as alegações finais dele, então eu serei intimado para apresentar as alegações finais provavelmente amanhã [quinta-feira] e depois as defesas apresentarão as alegações finais também. Após isso, o juiz anunciará a decisão se leva ou não esses seis acusados à júri popular", disse Renan.

A expectativa, segundo o advogado, é de que a decisão saia ainda nas primeiras semanas de junho. Para ele, não há outro caminho sem ser o júri popular.

"Acredito que na primeira quinzena de junho já teremos essa decisão. Não há outro caminho se não levar à juri, porque há mais do que indícios de autoria e provas de que os seis são os responsáveis pela morte da Milena", concluiu. 

Prisão

O mandado de prisão contra Hermenegildo foi expedido no dia 16 de setembro de 2017, dois dias depois do crime. Desde então, ele era considerado foragido. O suspeito foi preso em um sítio na localidade de Alto Capim, a 60 km de Aimorés, em Minas Gerais, quase dez dias depois da decretação de sua prisão.

Em depoimento, Hermenegildo afirmou que pretendia se entregar à polícia, mas, em vez disso, fugiu após a morte de Milena. O suspeito se escondeu em Conceição do Castelo e em Laranja da Terra e, depois, saiu do Espírito Santo. A polícia chegou ao paradeiro de Hermenegildo por meio do cruzamento de informações e após receber uma denúncia anônima.