Moradores de rua atiram pedras na PM durante abordagem a assaltantes em Vitória

Polícia

Moradores de rua atiram pedras na PM durante abordagem a assaltantes em Vitória

A agressão aconteceu no momento em que os policiais se preparavam para fazer a abordagem nos suspeitos de cometerem o crime, no bairro Santa Helena

Redação Folha Vitória

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução

Uma equipe da Polícia Militar foi agredida com pedradas por moradores de rua, na madrugada desta sexta-feira (13), após ser acionada para atender a uma ocorrência de roubo no bairro Santa Helena, em Vitória. A agressão aconteceu no momento em que os policiais se preparavam para fazer a abordagem nos suspeitos de cometerem o crime. Uma pessoa acabou detida.

Por volta das 5 horas desta sexta-feira uma mulher foi assaltada a caminho do trabalho. A vítima caminhava pela avenida César Hilal, quando foi abordada por dois homens armados, que chegaram de bicicleta.

Os indivíduos roubaram todos os pertences da vítima e, em seguida, fugiram em direção ao Morro da Garrafa, também na Capital.

A mulher acionou a Polícia Militar e informou sobre o assalto. Logo depois, seguiu para a Delegacia Regional de Vitória para registrar um boletim de ocorrência. 

Assim que saiu da delegacia e caminhava pela rua Ulisses Sarmento, a mulher avistou os suspeitos que teriam assaltado ela pouco tempo antes. A vítima, então, acionou novamente os militares, que rapidamente foram ao local.

Assim que os policiais chegaram, foram realizar a abordagem nos suspeitos indicados pela mulher. Nesse momento, moradores da região, que acompanhavam a ação, atiraram pedras nos militares. 

O tenente-coronel Leandro Menezes afirmou que situações como essa estão se tornando cada vez mais frequentes. "Quando a PM chega ao local, gera um estresse nesses moradores, e isso tem se tornado comum. A agressão parte de pessoas próximas aos criminosos, que tentam desestabilizar o trabalho policial durante a abordagem", ressaltou.

"Crimes ao patrimônio e assaltos envolvendo pessoas em situações de rua estão cada vez mais comuns. Para alimentar o vício, eles cometem esses crimes contra o patrimônio", completou o tenente-coronel.

Prefeitura diz que ampliou vagas para atender pessoas em situação de rua

Por meio de nota, a Prefeitura de Vitória informou que ampliou o número de vagas na rede socioassistencial para pessoas em situação de rua, a partir da criação do Serviço de Acolhimento Emergencial Transitório, que foi inaugurado no dia 13 de julho do ano passado, aumentando de 155 para 195 vagas para abrigá-las.

O atendimento inicial a pessoas em situação de rua é feito pelo Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas). Segundo a prefeitura, ele atua por meio de equipes de abordagem que contam com assistentes sociais, psicólogos e educadores sociais para atender as pessoas em situação de rua.

A administração municipal explica ainda que esses profissionais trabalham para identificar as necessidades desses indivíduos, estabelecendo contato com os serviços que possibilitem sua reinserção no âmbito familiar e na comunidade. Entretanto, segundo a prefeitura, o serviço não realiza a retirada compulsória de pessoas em situação de rua dos espaços. 

O Seas presta atendimentos de segunda a sexta-feira, das 8 horas até meia-noite, e aos sábados, domingos e feriados, das 8 às 23 horas, podendo ser acessado pelo 156. Segundo a Prefeitura de Vitória, a média é de 350 pessoas abordadas pelas equipes da rede socioassistencial da Capital mensalmente.

A nota ainda reforça que, durante a abordagem, são realizadas intervenções no que diz respeito ao acolhimento nos equipamentos da Semas, como: Centro-Pop, que é a referência no atendimento às pessoas em situação de rua no município; Abrigo, Hospedagem noturna, Casa Lar para pessoas com transtorno mental, Albergue para migrantes, além do Serviço de Acolhimento Emergencial.

*Com informações da repórter Gabriela Valdetaro, da TV Vitória/ Record TV

Leia mais: Suspeito tenta roubar bicicleta e é preso em flagrante em Vila Velha