Salários de 'fantasmas' desviados por ex-funcionário da Santa Casa chegavam a R$ 80 mil

Polícia

Salários de 'fantasmas' desviados por ex-funcionário da Santa Casa chegavam a R$ 80 mil

Ele foi preso na sexta-feira (24) em Marechal Floriano, Região Serrana do Estado, conforme noticiado em primeira mão pelo jornal online Folha Vitória

Foto: Reprodução / Instagram

O homem suspeito de promover desvios financeiros enquanto trabalhava no setor administrativo da Santa Casa de Misericórdia de Vitória deixou prejuízo de R$ 1 milhão, segundo informações da Polícia Civil. Os salários dos funcionários fantasmas que eram desviados chegavam a R$ 80 mil.

O ex-funcionário, que ainda não teve o nome divulgado pela polícia, foi preso na sexta-feira (24) em Marechal Floriano, Região Serrana do Estado, conforme noticiado em primeira mão pelo jornal online Folha Vitória.

Segundo a Polícia Civil, o homem atuava como gerente de Recursos Humanos (RH) no hospital. Ele é suspeito de realizar admissão de funcionários “fantasmas”, que repassavam os valores das contratações para ele. Além disso, ele também é investigado por desviar dinheiro em espécie.

Uma fonte do Folha Vitória ligada à Santa Casa de Vitória já havia revelado que o investigado se apropriava dos repasses feitos para o hospital filantrópico, desviando essas quantias para o pagamento de funcionários que não existiam no hospital.

Polícia apontou que esquema de corrupção durou de março a setembro de 2020

Na coletiva de imprensa concedida pela Polícia Civil na manhã desta segunda-feira (27), o delegado Janderson Lube detalhou que o esquema de desvios no hospital começou em março de 2020, quando foi decretada pandemia do coronavírus no Espírito Santo, e durou até setembro, quando o suspeito foi demitido. 

"Identificamos dois esquemas iniciais: inserção de gratificação e funcionários fantasmas. Neles, os valores eram recebidos pelos funcionários fantasmas e também por funcionários da Santa Casa, que repassavam a maior parte (não havia uma quantia determinada) ao investigado e ao comparsa dele que se encontra foragido. Esse foragido também repassava para o gerente de RH", resumiu.

O delegado também apontou que o gerente desviava dinheiro em espécie, ainda no ano de 2019. 

Ele foi encaminhado para o Complexo Penitenciário de Viana, conforme confirmado pela Secretaria de Estado da Justiça.

A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Vitória confirmou, por nota, que "foram constatadas inconsistências na gerência de faturamento e que foram enviados à polícia todos os documentos disponíveis para apuração dos fatos".

A direção da instituição não quis, no entanto, detalhar quais seriam essas inconsistências e nem o valor que teria sido desviado.

Suspeito apresentou diploma falso em 2015

O ex-funcionário da Santa Casa já foi alvo de investigação em janeiro de 2015 pelo Conselho Regional de Administração do Espírito Santo (CRA-ES).

Ele foi indiciado junto ao Ministério Público Estadual por ter apresentado diploma falso de conclusão de curso de Administração para obter registro no CRA.

Na época, ele atuava como gerente financeiro do Hospital Estadual Jayme Santos Neves. 

Com informações da repórter Nathália Munhão, da TV Vitória/Record TV.