Grande São Pedro registra pelo menos 11 ocorrências policiais em 15 dias

Polícia

Grande São Pedro registra pelo menos 11 ocorrências policiais em 15 dias

Os dados são de um levantamento interno feito pela reportagem da TV Vitória. Entre as ocorrências, estão tiroteios, operações policiais, prisões, entre outras

Foto: TV Vitória

Quem mora na região da Grande São Pedro, em Vitória, tem convivido com uma escalada de violência, com vários tiroteios e até crianças inocentes baleadas durante os confrontos. Neste último fim de semana, um homem morreu e duas crianças, de 4 e 10 anos, foram baleadas, no bairro São José, durante uma troca de tiros.

David Martins Julião, de 35 anos, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. No domingo (26), um adolescente de 15 anos foi detido no bairro Tabuazeiro, também em Vitória, suspeito de participar desse tiroteio. Segundo policiais militares que participaram da ocorrência, ele confessou o crime.

O menino de 10 anos, segundo familiares, recebeu alta. Já a menina de 4 anos, atingida por quatro disparos, teve de passar por uma cirurgia e ainda continua internada no Hospital Infantil de Vitória. De acordo com o pai da criança, o estado de saúde dela é estável.

Essa foi somente uma das ocorrências policiais registradas na região da Grande Pedro neste mês de setembro. Além desse, o jornalismo da TV Vitória/Record TV mostrou, nos últimos 15 dias, mais dez casos, entre tiroteios, operações policiais, prisões e apreensões. Tudo, segundo a polícia, por um só motivo: o tráfico de drogas.

A população tem que lidar com a violência praticamente todos os dias. Empresários enfrentam assaltos como um que aconteceu na semana passada, em um salão de beleza. O crime durou segundos.

Outro caso foi de um cão farejador da Companhia Independente de Operações com Cães, da Polícia Militar, que foi ao bairro São Pedro apenas para ser treinado. No entanto, voltou com maconha, crack e cocaína.

Para conter os criminosos, a polícia realizou, no dia 17 deste mês, a operação Sicário, que prendeu 16 pessoas. Entre os detidos, estão dois homens ligados diretamente a Fernando Moraes Pereira Pimenta, o "Marujo", homem mais procurado do Espírito Santo e acusado de liderar o tráfico de drogas do Morro da Penha, na capital. 

Segundo a polícia, a guerra do tráfico de diversos bairros de Vitória está ligado ao Morro da Penha, inclusive associações criminosas da Grande São Pedro.

Mesmo com as operações policiais, criminosos não se intimidam. Entre os dias 14 e 17 deste mês, moradores registraram tiroteios praticamente todos dias. 

Adolescente diz que foi "matar rival"

Sobre o tiroteio mais recente registrado na região, a Polícia Militar confirmou nesta segunda-feira que o alvo dos tiros era o homem de 35 anos. Em conversa com os policiais, o adolescente apreendido teria admitido ter feito os disparos.

"Ele confessou que tinha participado do acontecido lá no Santo André e foi preso com a pistola calibre 9 milímetros, quatro munições e socorrido ao hospital. E a ocorrência foi encaminhada à DHPP. Ele, na entrevista prévia com os policiais, alega que foi lá para matar o rival e que as crianças que foram alvejadas são consequência. Disse que ele é do crime e que o objetivo dele era matar o rival", afirmou o  subcomandante do 1º Batalhão da PM, major Cristelo.

Para parentes, David queria deixar o crime. "Ele já tinha saído fora, só que, como a pessoa nunca esquece, para ele sair fora de uma vez, ele tinha que ficar junto com pai e mãe. Só que ele preferiu ficar em São Pedro e ele já tinha problema com esse pessoal de Bairro da Penha. E desarmado, andando de bicicleta para cima e para baixo, é claro que a pessoa vai fitar e vai passar a fita para o outro, e o outro vem e faz o que aconteceu com ele", contou um familiar, que não quis se identificar.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que o adolescente conduzido foi autuado em flagrante por ato infracional análogo aos crimes tentativa de homicídio qualificado e ameaça. Ele foi encaminhado ao Ciase. 

Ainda segundo a PCES, o caso segue sob investigação da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, para identificar os demais envolvidos.

Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória/Record TV