• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Avenida Expedito Garcia registra 10 roubos e furtos por dia em Cariacica

  • COMPARTILHE
Polícia

Avenida Expedito Garcia registra 10 roubos e furtos por dia em Cariacica

Trabalhadores e clientes do comércio local vivem com medo. Cerca de dez ocorrências são registradas todos os dias

Diariamente, somente na Avenida Expedito Garcia, no bairro Campo Grande, em Cariacica, são registrados cerca de dez ocorrências de roubos e furtos. O local é o mais importante centro comercial do município e possui mais de 400 lojas. O medo assusta quem trabalha ou passa pela região.

Um vendedor de 40 anos, que prefere não ser identificado, alega que convive diariamente com a violência. Ele trabalha em uma loja de roupas masculinas da avenida e conta que os furtos são frequentes. "Fico o tempo todo tenso e sempre olhando o que acontece em nosso redor. A gente não trabalha relaxado", disse.

De acordo com a Polícia Civil, todos os dias, cerca de dez pessoas prestam queixa de crimes que acontecem na região. A maior parte, vítimas de furtos. "Esses crimes aconteciam mais na época do Natal, mas hoje é frequente e a qualquer hora. Antigamente era um por dia ou ficavam dias sem registrar nada", disse o investigador da PC Jairo Freitas.

Durante a reportagem da TV Vitória, foi possível registrar a presença de viaturas da Polícia Militar na região, mas quem circula ou trabalha no local afirma que não é suficiente. O vendedor conta que a loja chegou a contratar vigilantes, mas os bandidos continuam agindo. "Poderia ter mais policiamento a pé ou de bicicleta para ter uma mobilidade melhor", sugere.

Por nota, a Prefeitura de Cariacica informou que existem quatro câmeras de videomonitoramento ao longo da avenida e que as imagens ficam a disposição da polícia. Mesmo com os registros, a população alega que não se sente segura.

A orientação da Polícia Civil é ficar sempre atendo ao circular em regiões com esse tipo de movimento. "Levar poucos documentos, poucos objetos de valor, tomar cuidado com o celular e mulheres precisam deixar a bolsa na frente do corpo", sugere o investigador.