• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Preso na Serra suspeito de divulgar na internet imagens íntimas de crianças e adolescentes

  • COMPARTILHE
Polícia

Preso na Serra suspeito de divulgar na internet imagens íntimas de crianças e adolescentes

Segundo a polícia, para conseguir essas imagens, Denner da Silva Carvalho criava perfis falsos nas redes sociais, conquistava a confiança das vítimas e pedia para que elas enviassem fotos e vídeos nuas

Um homem foi preso na manhã desta quinta-feira (13), na Serra, suspeito de divulgar na internet fotos e vídeos pornográficos de crianças e adolescentes adolescentes. Segundo a polícia, para conseguir essas imagens, Denner da Silva Carvalho, de 23 anos, criava perfis falsos nas redes sociais, conquistava a confiança das vítimas e pedia para que elas enviassem fotos e vídeos nuas. 

Em seguida, ele criava uma espécie de "jogo", em que as vítimas eram obrigadas a cumprir uma série de tarefas que ele estabelecia, caso contrário as imagens íntimas seriam divulgadas na internet.

De acordo com a polícia, três meninas - uma de 12 e duas de 13 anos - acabaram tendo suas fotos e vídeos vazados. Uma das vítimas de 13 anos teria sido estuprada pelo suspeito. Os pais da outra adolescente chegaram a ser extorquidos por Denner, que exigiu deles dinheiro para que as imagens íntimas da filha não fossem divulgadas, mas o casal alegou não ter dinheiro. Já a garota de 12 anos não suportou os desafios estabelecidos pelo acusado, se recusou a cumprir uma tarefa e também teve as fotos e vídeos postados.

Em depoimento, Denner confessou ter obtido imagens pornográficas de pelo menos mais 15 meninas, incluindo adolescentes de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. Segundo a polícia, a investigação ainda não acabou e mais vítimas podem surgir.

Denner teve mandado de prisão temporária decretada pelos crimes de extorsão, falsa identidade, ameaça, posse e divulgação de cenas pornográficas com crianças ou adolescentes, além de estupro de vulnerável.

As investigações foram conduzidas pela Delegacia de Repressão aos Crimes Eletrônicos (DRCE), que acompanhou, por cerca de três meses, um perfil falso, criado pelo suspeito, em janeiro deste ano e que acumula mais de 2,4 mil amigos. No perfil, o suspeito se identifica como Lucas Soares e diz ter 17 anos.