• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Preso suspeito de matar dois irmãos em Ibiraçu

  • COMPARTILHE
Polícia

Preso suspeito de matar dois irmãos em Ibiraçu

Com a notícia da prisão, moradores do município se concentraram na praça que fica em frente à delegacia da cidade e alguns atearam fogo em frente à loja do suspeito

Um homem de 60 anos foi detido, nesta sexta-feira (14), suspeito de ter matado os irmãos Lucas de Martha Cera, 22 anos, e Luérick de Martha Cera, 18 anos, em Ibiraçu, no norte do Estado. Eles foram encontrados amarrados e enforcados, dentro de casa, no bairro Bela Vista, na última quarta-feira (12). O suspeito também teria levado R$ 30 mil da casa das vítimas, além dos celulares do jovens.

> Veja os vídeos da situação no local

De acordo com a Polícia Civil, por causa do duplo latrocínio foi decretada a prisão temporária, de 30 dias, do suspeito, que não teve o nome e a imagem divulgados, já que o caso segue sob sigilo. O homem foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Aracruz.

Com a notícia da prisão do suspeito, moradores do município se concentraram na praça que fica em frente à delegacia da cidade, para protestar contra o assassinato dos rapazes. Revoltados, alguns atearam fogo em objetos, em frente à loja que seria de propriedade do homem detido nesta sexta.

De acordo com o titular da Delegacia de Ibiraçu, delegado Fabiano Azevedo de Melo, a Polícia Militar precisou ser acionada para controlar o ânimo da população em frente à delegacia. 

"Enquanto estávamos ouvindo o suspeito na delegacia, a informação vazou e a população, revoltada com o crime, acabou cercando a delegacia. Aí precisamos pedir auxílio à Polícia Militar, para poder tirar ele dali em segurança", contou o delegado.

Investigação

Segundo o delegado, o suspeito não confessou o crime, mas a polícia tem indícios de que ele participou do assassinato dos dois irmãos. "Ele contou uma outra história, mas entrou em diversas contradições, principalmente com os fatos que nós já tínhamos apurado", afirmou.

Ainda de acordo com Fabiano Azevedo, mesmo o criminoso tendo levado o HD externo onde estavam armazenadas todas as imagens gravadas pelas câmeras de videomonitoramento da casa, a polícia conseguiu outras imagens, que podem incriminar o suspeito.

"Ele levou o HD externo porque é o que comprovaria que ele estava dentro da casa. Mas, em compensação, nós conseguimos outras imagens, que o colocam próximo à cena do crime e até com o objeto utilizado no crime", disse.

O delegado afirmou que a polícia não está divulgando a identidade do suspeito detido para preservar a integridade física dele - segundo informações de moradores, a população que se concentrou em frente à delegacia nesta sexta-feira estaria querendo linchá-lo - e também porque as investigações ainda estão em andamento.

"Como a prisão é temporária, as investigações continuam. Então a gente está apurando outras circunstâncias do crime, para apurá-lo de forma completa", destacou.

Segundo Fabiano Azevedo, a polícia ainda investiga a possibilidade de mais pessoas estarem envolvidas no crime. A principal linha de investigação utilizada pela polícia é de latrocínio - roubo com morte.

"A princípio, a gente trata o crime como latrocínio. Não há nenhum indício de que seria apenas homicídio. [A motivação] foi a quantia em dinheiro que as vítimas tinham em casa. Eles foram mortos asfixiados, que é sempre uma morte bem dolorosa. Inclusive, se fosse crime de homicido, eu qualificaria o crime", afirmou o delegado.