• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Pelo menos três assaltos a ônibus são registrados por dia na GV, diz Sindicato

  • COMPARTILHE
Polícia

Pelo menos três assaltos a ônibus são registrados por dia na GV, diz Sindicato

Os crimes registrados dentro dos coletivos da Grande Vitória, tem feito com que trabalhadores peçam demissão por conta da insegurança

O Sindicato dos Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários-ES), contabiliza pelo menos três assaltos por dia a ônibus do sistema Transcol na Grande Vitória.

No último fim de semana, crimes foram registrados dentro dos coletivos. A Secretaria de Segurança Pública (Sesp) não divulga o número de roubos.

No último domingo (6), bandidos fizeram um arrastão na linha 507, que passava na BR 101, no município da Serra. Todos os passageiros tiveram os pertences roubados. Na noite de sábado (5), um homem foi assassinado com três tiros dentro do ônibus quando o coletivo passava pela Rodovia do Contorno, também na Serra, a poucos metros do 6º Batalhão da Polícia Militar (PM). Ninguém foi preso.

De acordo com informações do diretor do Sindicato dos Rodoviários do ES, Silvio Ramos de Oliveira, muitos crimes começam dentro dos terminais. “Eles entram nos terminais para ficar dentro dos ônibus e efetuar os assaltos no meio do caminho”.

O sindicato, que representa os trabalhadores, contabiliza uma média de até três assaltos por dia e mais de 50 linhas de ônibus na mira dos bandidos. Segundo o Sindirodoviários, a cada mês, de 10 a 15 trabalhadores pedem demissão por conta da insegurança. “Os trabalhadores acabam perdendo o emprego porque não querem mais trabalhar nessas linhas de tão perigosas que são. Infelizmente trabalhamos com medo”, disse Silvio.

A categoria faz reuniões mensais com as polícias Militar, Rodoviária e Federal. Mas por enquanto, a única medida tomada e que está realmente surtindo efeito, são as blitz e abordagens aos coletivos. Segundo a PM, no primeiro semestre foram mais de 30 mil operações e quase 7 mil ônibus abordados.

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus), informou que não irá se pronunciar sobre os pedidos de demissões por conta da insegurança nos ônibus.