• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Presa quadrilha acusada de cometer homicídios e comandar o tráfico de drogas no Bairro da Penha

  • COMPARTILHE
Polícia

Presa quadrilha acusada de cometer homicídios e comandar o tráfico de drogas no Bairro da Penha

Ao todo, foram presas 12 pessoas durante a operação, realizada nesta terça-feira. Também foram apreendidas drogas e armas

Doze pessoas foram presas durante uma operação conjunta das polícias Civil e Militar, nesta terça-feira (01), no Bairro da Penha, em Vitória. Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), entre os detidos estão integrantes de uma quadrilha responsável por comandar o tráfico de drogas na região e de cometer diversos homicídios.

Um dos presos é Luiz Henrique dos Santos Júnior, o "Riquinho", que, segundo a polícia, é o número dois na hierarquia da quadrilha que domina o tráfico na região. A esposa dele, Juliana Matias Oliveira, também foi detida na operação.

Também foi presa Lidiane Santos Santana, esposa do homem que seria o chefe da quadrilha, identificado como Geovane, vulgo "Paraíba", que segue foragido. A polícia também deteve Josielson dos Santos Valentim, o "Coroinha", que consta na lista dos dez criminosos mais procurados do Estado, e José Guilherme Trindade.

"É uma quadrilha responsável por diversos homicídios, pela sua atividade no tráfico e também por crimes contra o patrimônio. A grande maioria das pessoas que residem no Bairro da Penha são pessoas de bem, que são, muitas vezes, obrigadas a conviver com quadrilhas como essa. Então a nossa obrigação é desarticular essas quadrilhas", afirmou o secretário de Segurança Pública, André Garcia.

Durante a operação, também foi apreendida uma grande quantidade de maconha, cocaína, crack e haxixe, além de um rádio comunicador, munição, cerca de R$ 10 mil em espécie e uma arma de calibre ponto 45.

Dois laboratórios de refino de drogas também foram descobertos pelos policiais. "Durante o cumprimento das buscas, nós obtivemos a informação de um local onde existia esse laboratório para o refino do entorpecente. As equipes foram até o local e constataram a existência do mesmo. Foi apreendido aproximadamente 1 kg de cocaína e material para a mistura, como ácido bórico, entre outros produtos", destacou o titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Vitória, delegado Marcus Vinicius Rodrigues.

Ao todo, foram cumpridos 50 mandados de busca e apreensão e seis de prisão. Os outros seis presos foram detidos em flagrante.

A operação contou com a participação de mais de 300 policiais civis e militares, em uma logística planejada durante cerca de um mês. Segundo o titular da DCCV de Vitória, a operação continuará na região.

"Essa operação tenta mostrar para a população que nós estamos ao lado deles, que nós vamos continuar combatendo o crime naquela região e vamos buscar prender esses criminosos que continuam foragidos. A operação vai se alongar durante um período, até que nós possamos capturar os outros elementos. Existem mais pessoas a serem presas naquela região, em especial o Geovane, vulgo Paraíba, que é o chefe do tráfico local", ressaltou o delegado.

Foguetório

Durante a operação da polícia, alguns criminosos, no intuito de alertar os comparsas sobre a presença de policiais no Bairro da Penha, soltaram foguetes. O barulho pôde ser ouvidos em diversos bairros vizinhos. No entanto, o comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel José Augusto Piccoli, garante que o foguetório não atrapalhou a ação da polícia.

"A operação foi extremamente bem sucedida. Os foguetes são a forma de comunicação dessas organizações criminosas. Então eles fazem o monitoramento e, por terem uma situação privilegiada no terreno, já que eles nos veem de cima e qualquer movimentação policial ou de recurso operacional é identificada, eles se comunicam dessa forma", explicou o comandante.