• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Violência contra a mulher aumenta no ES: 23 mortes em 7 meses

  • COMPARTILHE
Polícia

Violência contra a mulher aumenta no ES: 23 mortes em 7 meses

Entre os meses de janeiro e julho de 2016, 19 casos de feminicídio foram registrados. No mesmo período deste ano, já ocorreram 23

O número atentados contra a vida das mulheres, os chamados feminicídios, aumentou no Espírito Santo. Entre janeiro e julho deste ano, foram registrados 23 casos, um aumento de 21% em relação ao ano de 2016, quando 19 mulheres foram assassinadas.

Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesp). De acordo com o secretário André Garcia, esses crimes tem como principal característica o desprezo pela condição feminina. "Enquanto a gente não mudar a cabeça e tiver a ideia que a diferença de gênero implica em supremacia pelo homem, essa realidade não vai ser mudada", disse.

Um dos casos registrados aconteceu em outubro de 2016, quando Maynara Fernanda Teodoro Micaela, 21 anos, foi morta a facadas pelo namorado. O crime aconteceu no município de Cariacica. Um dos filhos da jovem, de apenas 3 anos, estava no colo da mãe no momento da morte.

Segundo a mãe da jovem, a manicure Márcia Maria Teodoro, o garoto faz tratamento psicológico para tentar esquecer o que aconteceu. "Todos os dias ele fala que sente saudade da mãe e acha que ela vai voltar", disse.

O Espírito Santo ocupa o quinto lugar no rankink nacional de violência contra a mulher. De acordo com o Governo do Estado, os feminicídios representam em média, cerca de 10% do número total de assassinatos notificados. O secretário da Sesp afirma que, para combater esses crimes, diversas ações são realizadas, principalmente a Casa Abrigo, que atende em todo o Espírito Santo.

Nesta quinta-feira (24), um novo caso comoveu a população. Gabriela Silva de Jesus, 24 anos, foi encontrada morta após ser sequestrada e estrangulada pelo ex-namorado. Ele ainda teria forjado um atropelamento para tentar disfarçar as marcas da violência. O acusado e um amigo foram presos.

No caso da Maynara, o responsável pelo crime, Felipe de Souza Robeiro dos Santos, 21 anos, continua preso. A defesa alega que o rapaz sobre de transtornos mentais. Para a mãe da jovem, o crime foi premeditado. "Ele pediu a avó para comprar a faca para ele fazer um churrasco dias antes do crime. Ele é doente mental? Claro que não!", afirma.