• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mais de 70 crimes em agências dos Correios no ES registrados em 2017

  • COMPARTILHE
Polícia

Mais de 70 crimes em agências dos Correios no ES registrados em 2017

Dentre os crimes, estão 14 ocorrências de roubo de cargas, 12 arrombamentos e 28 assaltos

Os casos de violências nos Correios do Espírito Santo estão aumentando nos últimos anos. Somente em 2017, foram registradas mais de 70 ocorrências relacionadas à agências no Estado. A informação do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios foram 14 ocorrências de roubo de cargas, 12 arrombamentos e 28 assaltos. Mais de 20 suspeitos de cometerem assaltos já foram identificados. No entanto, quatro ainda estão foragidos.

De acordo com a Polícia Federal a atuação de quadrilhas especializadas em assaltos à Correios vem crescendo cada vez mais no Espírito Santo. Entre os principais motivos, estão a crise econômica e a falta de segurança das agências.

Para o delegado Lorenzo Fontes, situações do tipo poderiam ser resolvidas. "Se houvesse a exigência de porta giratória e vigilante, a gente acredita que esse número seria reduzido a quase zero. Onde existem esses aparatos, não foram registados crimes do tipo", disse.

A polícia também afirma que essas quadrilhas agem sempre da mesma forma. Os criminosos estão sempre armados, são muito violentos e cada um deles tem uma função durante os assaltos. "Eles fazem um levantamento prévio para ter certeza que a agência não tem vigilante ou porta giratória. No assalto, são três: um deles vai para o local do cofre, o outro vigia os funcionários e o terceiro aborda quem estiver entrando", explicou o delegado.

Na última quinta-feira (21), a Polícia Civil prendeu Wagner Xavier Fernandes, 24 anos, suspeito de integrar uma quadrilha especializada em crimes nas agências dos Correios. A falta de segurança é uma das reivindicações dos trabalhadores dos Correios, que estão em greve desde o dia 20 de setembro no Espírito Santo, em outros 19 estados e no Distrito Federal.

O delegado reforça que a população pode ajudar a identificar e prender os responsáveis por esses crimes. "Se tiver qualquer informação, podem entrar em contato com a Polícia Federal. Precisamos dessa denúncia, mesmo que seja de forma anônima", afirma.